Câncer tem cura. Previna-se

Apesar da crise hídrica no DF, Alvorada aumentou consumo de água em 64%

Apesar de Brasília enfrentar a pior crise da história e passar por racionamento de água, o Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, aumentou em 64,18%o consumo de água entre os anos de 2015 e 2016. De acordo com relatório obtido pela Lei de Acesso à Informação, apenas com água, o Alvorada gastou no ano passado R$ 1,6 milhão, R$ 640 mil a mais do que em 2015. O imóvel está desocupado e ainda aguarda a mudança definitiva do presidente Michel Temer e família, sem previsão para ocorrer. O relatório foi obtido pelo G1.
O Alvarada fica em uma área nobre de Brasília, à beira do Lago Paranoá, e não foi atingido pelos cortes sistemáticos de água. A área é abastecida pela bacia do Santa Maria que não foi submetida ao regime adotado pelo governo do DF para conter as perdas.
Até agosto de 2016, o Palácio era ocupado pela então presidente Dilma Rousseff. Em nota, a gestão atual informou que, após a mudança de governo, em setembro do ano passado, adotou medidas para reduzir o consumo de água. 
Em nota, o Palácio da Alvorada afirmou que "foram adotadas medidas para a redução dos gastos, envolvendo, por exemplo, a conscientização dos funcionários para o uso racional da água, troca de torneiras e acompanhamento contínuo para verificar a existência de vazamentos".
Segundo o governo, em novembro de 2016, "foi identificado e corrigido um vazamento na rede principal do Palácio". A nota disse, ainda, que o executivo fará mudanças no sistema de manutenção e modernizar hidrômetros e aparelhos sanitários.

Com informações do site http://www.brasil247.com
Tecnologia do Blogger.