Câncer tem cura. Previna-se

Bandes completa 50 anos e já se prepara para os próximos desafios

O Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) completou, nesta segunda-feira (20), meio século de atividades no Estado. O banco possui papel marcante para a diversificação da economia capixaba desde 1967. É um dos principais órgãos de desenvolvimento do Espírito Santo e já se prepara para os próximos anos.

“O banco está se recriando. Já somos referência na agricultura, no crédito para a micro e pequena empresa e no microcrédito. Agora temos também um olhar carinhoso para outras áreas, novos projetos, como a economia verde, a criativa, o comércio exterior, as parcerias público-privadas e os fundos de investimento e participações. Temos muito o que fazer neste ano e também nos próximos”, destacou o diretor-presidente, Aroldo Natal Silva Filho.

50 anos apoiando gerações

Promover o desenvolvimento das regiões do Estado, levando em consideração as suas potencialidades e reduzindo os desequilíbrios regionais, é mais uma linha-mestra de atuação do banco, que já acumula cerca de 50 mil clientes nessas cinco décadas e mais de R$ 1 bilhão em saldo de operações de crédito.

“Praticamente todos os setores da economia capixaba contaram e contam com o apoio do Bandes não apenas como agente financeiro, mas também como um agente articulador de políticas públicas de inclusão produtiva por meio do crédito planejado e orientado”, complementa Aroldo Natal.

A inclusão se comprova na história de muitas famílias nos 78 municípios. É o caso da família Marion, que tem uma loja de esquadrias de madeira em Iconha: a Marion Madeiras. Há 30 anos no mercado, os Marion fabricam e vendem os produtos que fizeram deles referência no município. Segundo Jotania Marion, o primeiro financiamento com o Bandes foi há mais de 30 anos para comprar as máquinas da oficina, que fica no distrito de Monte Belo. O filho dele, Jhonatas, é quem administra a empresa hoje. E o Murilo, de 7 anos, filho de Jhonatas, já mostra que pode seguir os passos do pai e do avô no negócio.

“Em 82, conheci o Bandes e pudemos fazer um financiamento para a compra de uma máquina, que funciona até hoje na fábrica. A empresa se mudou para o centro da cidade e conseguimos abrir lojas em Iconha, Cachoeiro e Guarapari. É um negócio familiar que comercializa portas, esquadrias, janelas e móveis de vários tamanhos. Foi importante o financiamento do  Bandes naquela época”, conta Jotania.

Novos desafios

Neste momento, o Bandes se prepara também para dar um salto em termos de atendimento. Na busca pela excelência operacional, a instituição trabalha para modernizar seus fluxos de operações, remodelar seu website e lançar um aplicativo que ajudará os atuais e futuros clientes.

“Bancos de desenvolvimento como o Bandes oferecem financiamento para quem quer investir na sua atividade produtiva com condições atrativas. Chegamos até aqui promovendo a competitividade, a sustentabilidade e a inovação na economia do Espírito Santo. E damos novos passos, firmes, na direção da modernização e da constante reinvenção”, finaliza o diretor-presidente do Bandes.
Tecnologia do Blogger.