Dona Mirian, a consumidora campeã de processos no Procon da Serra

Foi depois de ouvir uma conversa entre dois juízes, há cinco anos, que o comportamento da cabeleireira Mirian Brizon, de 49 anos, sobre seus direitos enquanto consumidora mudou. Hoje, ela é a guardiã dos direitos dos consumidores no PROCON da Serra / a campeã de processos no PROCON da Serra.
“Ouvi um juiz dizendo ao outro, durante uma audiência, que o mal dos capixabas era não correr atrás dos seus direitos. A partir desse dia mudei meu comportamento e passei a ir atrás de tudo, quando me sinto prejudicada”, disse a moradora do bairro José de Anchieta.
No PROCON da Serra, dona Mirian registrou 21 ações entre os anos de 2012 e 2017, e teve vitória em 20 casos. Ela é lembrada pela equipe do órgão de defesa do consumidor para servir de inspiração neste Dia do Consumidor, comemorado na próxima quarta-feira, 15 de março.
A maioria das reclamações, segundo ela, são relacionadas a telefonia e internet, em casos que vão desde a cobrança indevida até falha na prestação de serviços.
Mas a cabeleireira já prestou reclamação até contra a Polícia Militar, por ter sido vítima de assalto após ter o pedido de ajuda negado, e contra um fabricante de remédio para emagrecer depois que não conseguiu perder os quilinhos indesejados.
“Comprei pela TV dois kits de um medicamento que prometia perder 5 quilos por mês. Fiz tudo certinho, faço caminhadas de seis quilômetros por dia, todos os dias, e não perdi nada. Me senti enganada. Esperei por seis meses um retorno do fabricante, mas como não tive resposta, recorri ao PROCON, mesmo com todo mundo falando que eu não conseguiria nada nesse caso”, disse
Mas dona Miriam mais uma vez conseguiu.Além de devolver os R$ 480 reais pagos pelo remédio, a empresa terá de pagar R$ 10 mil de indenização por danos morais.
Além desse valor, dona Miriam calcula que também vai receber mais R$ 10 mil, de outros processos que já teve vitória, mas as empresas entraram com recurso, direito garantido a elas. Até hoje, ela já recebeu R$ 4 mil por indenizações e só não teve vitória em uma ação contra um dentista, que cobrou o serviço novamente, após já ter recebido o valor, pelo fato de dona Miriam não ter comparecido à consulta na data marcada.
“Eu não tenho estudos, só estudei até a 4ª série do Ensino Fundamental, mas sei muito mais de direito de consumidor que muita gente por aí. Acho muito importante a gente ir atrás, buscar ajuda e é bom saber que temos advogados no PROCON que nos auxiliam”, afirmou.
O advogado do PROCON da Serra, Sérgio Meneghelli, disse que é por causa de pessoas como Dona Mirian, que denunciam os abusos, que o PROCON consegue atuar e garantir os direitos. “Precisamos dessa participação conjunta com a sociedade para sermos mais efetivos. Precisamos de pessoas que tenham proatividade, disposição para lutar por seus direitos e que confiem na nossa instituição”. 
Tecnologia do Blogger.