Incaper e Epamig discutem cooperação técnica no café conilon

A visita da equipe técnica da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) ao Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) poderá efetivar uma parceria de cooperação técnica entre as instituições com o café conilon.
Após a definição de um plano de trabalho entre as equipes técnicas, serão realizados intercâmbios de tecnologias e materiais genéticos, que pode resultar no desenvolvimento de uma variedade de café conilon de maneira conjunta entre Espírito Santo e Minas Gerais nos próximos anos.
De acordo com o pesquisador e coordenador de cafeicultura do Incaper Romário Gava Ferrão, o Instituto já possui uma parceria com a Epamig há mais de 20 anos. “Pesquisas já vem sendo executadas por essa equipe de profissionais, sobretudo na área do melhoramento genético. Já disponibilizamos os clones das cinco primeiras variedades desenvolvidas pelo Incaper para serem avaliados na Epamig. O momento agora é de fortalecimento e institucionalização dessa parceria, por meio do intercâmbio de materiais genéticos mais recentes, trabalhar conjuntamente, na geração, adaptação e transferência de tecnologias, nas diferentes áreas do conhecimento”, relatou Romário.
Ele também disse que, além de intercâmbio de tecnologias, tem ocorrido uma troca de conhecimentos, benéfica para ambas as instituições. “Iremos elaborar um plano de trabalho comum, que poderá proporcionar a obtenção de uma variedade de café conilon pelas duas instituições, nos próximos anos e, também, trabalhar conjuntamente em ações de transferência de tecnologias”.
O pesquisador da área de melhoramento genético da Epamig, Antonio Alves Pereira, afirmou que, apesar de Minas Gerais ser o maior produtor de café arábica do país, há um grande interesse do estado em conhecer a tecnologia desenvolvida pelo Incaper no ES na área do conilon. “O Estado de Minas Gerais possui, além de regiões aptas à cultura do arábica, grandes áreas adaptadas ao cultivo de conilon, sobretudo na região Leste. Toda tecnologia desenvolvida pelos pesquisadores do Incaper são de altíssima qualidade. Os trabalhos que visitamos nos impressionou, especialmente o manejo da cultura que complementa o trabalho de melhoramento genético do conilon”.
Já a pesquisadora da Epamig, Waldênia de Melo Moura, que atua em Viçosa com melhoramento genético de arábica e conilon para cultivos convencionais e orgânicos, lembrou que Minas Gerais é o responsável por 70% da produção de café arábica do país. No entanto, explicou que as áreas de café conilon são muito restritas, embora haja potencial de crescimento.
“Diante das mudanças climáticas que temos vivenciado, muitas áreas destinadas ao café arábica estão se tornando inaptas, o que abre oportunidade de inserção de lavouras de café conilon no Estado. Como o Incaper é um instituto tradicional de pesquisa em café conilon em nível nacional e internacional e apresenta resultados de pesquisa e desenvolvimento como nenhuma outra instituição, buscamos conhecer essas tecnologias para acelerarmos com segurança nosso programa em Minas Gerais”, falou a pesquisadora.
Segundo ela, o que mais chamou a atenção na visita técnica foi o planejamento e a condução das atividades de pesquisa, o que gera uma confiabilidade nos resultados. “Também observamos a grande variabilidade genética dos materiais genéticos no Bancos Ativo de Germoplasma, os trabalhos de melhoramento em populações e hibridações e as diversas tecnologias em relação a espaçamento e manejo da cultura. Trata-se de um trabalho contínuo de pesquisa de vários anos, que a partir do qual, podemos adiantar etapas, observando as experiências que o Incaper já desenvolveu”, concluiu Waldênia.
Visita técnica
A visita técnica da Epamig ao Incaper ocorreu segunda (20) e terça-feira (21). Houve uma reunião na Sede do Instituto, com a participação dos diretores-presidentes de ambas as instituições, e visitas a propriedades rurais que adotam a tecnologia do Incaper nos municípios de Fundão e Marilândia.
Também ocorreu uma visita à Fazenda do Incaper em Marilândia, onde se localiza a maior base de pesquisa experimental de café conilon do país. No local, a equipe da Epamig pode conhecer todos os trabalhos do Instituto no conilon, destacando-se o Banco Ativo de Germoplasma, os campos experimentais de variedades clonais, campos de produção sementes e de seleções, técnicas de manejo da cultura como a poda, implantação e manejo de jardins clonais e de viveiros de mudas, estrutura de colheita e pós-colheita para o beneficiamento de café e a técnica de irrigação por gotejamento.
Tecnologia do Blogger.