Policiais civis prendem suspeitos de envolvimento em homicídios em Baixo Guandu

A equipe da Delegacia de Polícia (DP) de Baixo Guandu realizou uma operação nos bairros Rosário I e II, Sapucaia e São Vicente, que resultou na prisão de oito pessoas. A ação foi mais uma etapa que investiga crimes de homicídios praticados pelos irmãos A.G.S. e S.S.G., presos preventivamente desde 19 de agosto de 2016.

Segundo o responsável pela operação, delegado Deverly Pereira Junior, a operação aconteceu na sexta-feira (24). “Eles são suspeitos de praticar crimes de coação no curso de processo, o qual ocorre quando testemunhas, vítimas ou funcionários de processos judiciais são coagidos e ameaçados”, contou.

Ainda na operação, os policiais civis cumpriram mandados de busca e apreensão em 12 residências, todas de indivíduos ligados direta ou indiretamente aos dois irmãos. Foram presos no bairro Rosário I, A.T.S., de 45 anos, flagrado com quatro munições calibre 22; L.B.F., de 26 anos, apreendido com ele um revólver calibre 38, devidamente municiado, e sua companheira M.H., de 19 anos, presa por tentar jogar a arma fora no momento que a polícia chegou.

Já J.M.S., de 63 anos, foi preso no bairro Sapucaia. Com ele foram apreendidas duas espingardas de caça, calibres 36 e 40, além de diversas munições e equipamento para recarga de munições destes calibres.

O delegado informou também que na residência e estabelecimento de J.G.S., no bairro Rosário II, foram apreendidas uma espingarda calibre 12 sem registro, com diversas munições de mesmo calibre, bem como um revólver calibre 38 com registro vencido, além de munições também de mesmo calibre. No local foi presa em flagrante M.M.X., de 37 anos, esposa do suspeito. “Ela foi detida pela posse irregular das armas de fogo, uma vez que o suspeito não estava no local”, explicou.

Além desses, também foi autuado em flagrante delito E.R.L., no bairro Rosário II. Na residência dele foi apreendido um rifle calibre 22 sem registro, equipado com “luneta” de uso restrito, além de outras três lunetas semelhantes, todas de uso restrito.

“A Polícia Civil continuará com seu trabalho incessante de coibir quaisquer tentativas de obstrução dos trabalhos da Justiça, como coação, intimidação, ameaças ou atentados a testemunhas, vítimas de crimes ou quem quer que seja que colaborar ou atuar em qualquer inquérito policial ou processo criminal. Vale ressaltar que vamos permanecer atuando forte na repressão aos crimes de posse e porte irregular de armas de fogo, instrumentos pelos quais são praticados ainda cerca de 70% dos homicídios na cidade de Baixo Guandu”, concluiu Deverly Pereira Júnior.


A.T.S., L.B.F., M.H., J.M.S., M.M.X., pagaram fiança e responderão o processo em liberdade. Já E.R.L. e S.G.S. foram encaminhados para o Centro de Detenção Provisória de Colatina (CDPCOL) e J.R.S. para o presídio.
Tecnologia do Blogger.