Hemoes de Colatina bate recorde de coletas de sangue

O momento é de comemoração, na unidade do Hemoes em Colatina, pelo excelente resultado das captações de sangue realizadas no mês de março. Ao todo, 1.157 doadores passaram pela triagem e 1.074 bolsas de sangue foram coletadas. O número é motivo de celebração por duas razões: primeiro porque a unidade costuma coletar uma média de 650 bolsas de sangue por mês; segundo porque, desde o início da vacinação contra febre amarela, que impede a doação de sangue por 30 dias, a unidade estava passando um sufoco com a queda drástica das doações.
No período mais crítico, houve dias em que nenhuma bolsa de sangue foi coletada e que as unidades do Hemoes na Grande Vitória precisaram socorrer Colatina e outras cidades da Região Noroeste. Com a normalização da situação, a unidade do município pôde retribuir a ajuda e, no mês de março, enviou 340 bolsas de sangue para a Grande Vitória, onde a vacinação contra febre amarela foi intensificada e grande parte da população está temporariamente impedida de doar.
“Passamos por um momento crítico e a equipe se engajou. Fizemos uma ação em São Gabriel da Palha no dia 18 de março, um sábado, e lá atendemos 105 pessoas e coletamos 87 bolsas de sangue. Assim como a população, que atendeu ao nosso apelo, a equipe respondeu muito bem. Não deixamos doador ir embora sem doar”, comentou emocionado o diretor do Hemoes de Colatina, José Carlos Tosato Junior.
A lavradora Beatriz Aparecida Margon Broseghini, 45 anos, foi quem doou a bolsa de sangue número mil, nessa quinta (30), no Hemoes de Colatina. Ela é doadora frequente há cerca de cinco anos, e é o tipo de pessoa que gosta de ajudar. “Meu filho, de 24 anos, quase morreu aos 2 meses de idade. Daquela época pra cá, tudo o que eu posso fazer para ajudar as pessoas eu faço de coração. Eu tive uma bênção e quero agradecer muito”, disse a lavradora, que mora em Alto Santa Júlia, em São Roque do Canaã, e levou com ela nove amigos para doar sangue.
A diretora-geral do Hemoes, Sibia Marcondes, afirma que o resultado obtido no Hemoes de Colatina foi mesmo uma vitória. “A população de Colatina e dos municípios vizinhos está cooperando muito. Isso é muito bonito porque o Hemoes funciona como uma rede, e esse sangue vai ser compartilhado não só com os serviços de saúde da região, mas neste momento também com a Grande Vitória, que está precisando muito. Isso é solidariedade”, avaliou a diretora.
Tecnologia do Blogger.