Câncer tem cura. Previna-se

Museu da cultura Italiana é reinaugurado em Aracruz


Um novo espaço dedicado à memória dos imigrantes italianos será aberto em Aracruz, com a reinauguração do Museu Italiano e da Casa da Cultura Angélica Pandolfi, na próxima sexta-feira (28), às 20h.  O local vai abrigar inúmeros objetos, fotos, utensílios que ilustram a história dos primeiros italianos a chegarem no Brasil.
Para celebrar a entrega do museu e abrilhantar ainda mais o evento vão acontecer apresentações de dança e coral italiano, concertina, barracas com comidas típicas e seresta.
Além da reinauguração do Museu, também será comemorado o aniversário de 20 anos do Gruppo Di Ballo Nova Trento, representante da cultura italiana no município.
“A reinauguração do Museu representa o resgate da nossa história e valorização das nossas raízes. Este é um presente para a população aracruzense”, destacou o prefeito Jones Cavaglieri.
O Museu será aberto a visitação do público de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h e nos finais de semana, por meio de agendamento.
O Museu está localizado na avenida Gabriel Pandolfi, s/n, centro, Guaraná - próximo a Praça São Cristovão.
A imigração italiana no Brasil começou por Santa Cruz
Segundo o sociólogo italiano Renzo Grosselli, a Expedição de Pietro Tabachi foi o primeiro caso de partida em massa de imigrantes da região Norte da Itália para o Brasil. O nome da colônia criada no Espírito Santo, pelo Governo Brasileiro, chamava-se Nova Trento, a qual foi a primeira, de pelo menos três Nova Trento, fundadas pelos trentinos em terras brasileiras. Portanto, a história confirma que Santa Cruz foi o berço da imigração italiana no Brasil.

A primeira viagem de imigrantes foi no dia 3 de janeiro de 1874, às 13 horas, com saída do Porto de Gênova, em um navio a vela, o "La Sofia", na expedição Tabacchi, e a segunda pelo Rivadávia, ambos de bandeira francesa. O La Sofia chegou ao Brasil em fevereiro de 1874, com 386 famílias, para as terras de Pietro Tabacchi em Santa Cruz.
Tecnologia do Blogger.