Câncer tem cura. Previna-se

Obras de dragagem e derrocagem do Porto de Vitória entram em fase final

Mais competitividade para o Espírito Santo com a ampliação do canal de acesso ao Complexo Portuário. As obras de dragagem e derrocagem, que entraram em fase final, vão aumentar a capacidade de carga do Porto de Vitória em 40%, permitindo o acesso de navios com calado de 12,5 metros e o transporte de até 70 mil toneladas.
Na manhã desta segunda-feira (03), o vice-governador César Colnago, acompanhado pelos secretários de Estado de Desenvolvimento, José Eduardo Azevedo, e de Transportes e Obras Públicas, Paulo Ruy Carnelli, visitou o Porto para acompanhar o andamento dos trabalhos.
Durante a visita, a equipe foi recebida pelo presidente da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), Luis Claudio Montenegro, que fez um panorama sobre os serviços já realizados. Segundo ele, resta algo em torno de 3,5 mil metros cúbicos de derrocagem de um total de 115 mil metros cúbicos.
“Com o avanço do cronograma, o porto já conta com profundidade de 14m no canal de acesso e 13m na bacia de evolução. Acredito que a movimentação de cargas irá melhorar em breve, antes mesmo da conclusão dos trabalhos. Com as ações realizadas já podemos receber navios com maior capacidade de carga”, salientou Montenegro. 
O vice-governador César Colnago ressaltou a importância da obra para o Espírito Santo. “Ver a retomada do porto, em sua plenitude, é fundamental para o desenvolvimento da nossa atividade econômica”, destacou.

Dragagem e derrocagem
No momento da retomada das obras, em agosto de 2016, os sete quilômetros do canal tinham 11,7 metros de profundidade e permitia a navegação de navios com calado de 10,6 metros e carga máxima de 40 mil toneladas. Após a conclusão das obras, a profundidade será de 14 metros, aumentando a capacidade em 40%.
Tecnologia do Blogger.