5 perguntas que o empreendedor deve se fazer antes de investir em um negócio de reforma e construção


A área de limpeza e conservação, por exemplo, cresceu 16% e, no primeiro semestre do ano, o faturamento cresceu 5% na comparação com o mesmo período de 2016, passando de R$ 1,8 bilhões para R$ 1,9 bilhões

As franquias de serviços de obras e reformas atraem a atenção de alguns empreendedores por algumas razões. Uma delas é pelo baixo investimento no negócio, pela percepção de que sempre há demanda para esse tipo de serviço ou pelas experiências negativas que tiveram no passado. Contratar um bom pedreiro, encanador, eletricista ou outro especialista não é uma tarefa fácil e pode ser uma das mais desafiadoras na vida de uma pessoa.

Com a crise que o País enfrenta, o mercado vem ganhando fôlego aos poucos, e as franquias não ficam de fora. De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), no primeiro trimestre de 2017, o segmento cresceu 9,4% da receita total em comparação com o mesmo período em 2016, em que o faturamento chegou à marca de R$ 36,89 bilhões contra R$ 33,71 bilhões no ano na anterior.

Contratar uma empresa que resolva tudo pode ser uma proposta interessante, e é isso que torna esse tipo de franquia um diferencial competitivo. “O mercado de reformas e construção não foi prejudicado com a crise, pois as pessoas deixaram de considerar a possibilidade de comprar um imóvel, devido aos riscos e a alta dos juros nos últimos anos, e passaram a investir mais na manutenção e reforma dos imóveis”, diz Luciano Lugli, sócio fundador da Especialista do Lar, franquia de serviços de manutenção, reparo, construção e reforma para residências, condomínios e empresas.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor de materiais de construção apresentou alta de 3,8% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Esse tipo de franquia é uma alternativa de investimento e de abrir o próprio negócio. Mas, para ter sucesso, é fundamental que o empreendedor faça a si mesmo algumas perguntas, segundo o que aponta o empresário e consultor Luciano Lugli.

1. Tenho afinidade com esse tipo de atividade?
Parece um tanto óbvio, mas nem todas as pessoas fazem esse questionamento. Não existem fórmulas mágicas para lidar com o problema da mão de obra, sendo que a única forma de lidar com essa questão é realizar um bom e criterioso processo de gestão de pessoas. Avalie se a franquia desejada dará suporte e como será esse apoio.

2. Tenho ao menos uma ideia do que seja gestão de processos?
Procure entender como a franquia garante que o atendimento dado ao cliente é eficaz, padronizado e de forma organizada. A gestão de processos é fundamental para garantir a satisfação e, quando o empreendedor não dá importância a isso, a qualidade dos serviços dependerá totalmente da habilidade da equipe. Todos os colaboradores, sejam administrativos ou operacionais, precisam ser treinados com a clareza do que se espera dos serviços executados por eles.

3. Quero abrir a franquia para não ter que trabalhar muito e enriquecer em pouco tempo?
As franquias desse segmento, em sua maioria, são serviços de pequenos reparos e reformas e, de um modo geral, geram um ticket médio baixo, ou seja, (valor médio que cada cliente compra em seu estabelecimento). É importante que a franquia ofereça suporte para a realização de contratos para obras maiores e prestação de serviços direcionadas às empresas para ter um faturamento maior. Esse é um tipo de negócio que não possui um teto de faturamento, pois o seu limite operacional será o número de equipes que você poderá ter em diferentes obras.

4. É importante a área comercial para atingir os resultados que espero com a franquia?
Para que o franqueado consiga gerar bons resultados é fundamental que exerça um trabalho comercial consistente. Sabe-se que nem todos têm o perfil comercial agressivo, portanto é importante que a franqueadora ofereça suporte nessa área, auxiliando no fechamento de grandes contratos ou mesmo desenvolvendo parcerias com grandes empresas que gerem vendas efetivas para as unidades franqueadas. Além disso, a franqueadora também poderá oferecer treinamentos para capacitar o franqueado a identificar e efetivar boas oportunidades de negócios.

5. Considero-me uma pessoa inovadora?
Vivemos em uma sociedade em constante transformação, e uma das exigências para que uma empresa se mantenha forte no longo prazo, é a capacidade de inovar e de se renovar para atender às novas demandas do público. Com as franquias não é diferente. Não se trata apenas de criar novidades, mas compreender novas demandas e ser ágil em atendê-las. No caso de uma franqueadora, ela precisa estar atenta ao público final e às necessidades dos seus franqueados.

O mercado de obras e reformas é extremamente atraente, porém muito desafiador. O cliente estará disposto a pagar bem para as empresas que forem eficientes em resolver seus problemas, mas é um trabalho de construção da confiança para conquistar credibilidade. E aí, está preparado para lidar com estes desafios? Se sim, siga em frente e persista nos resultados.
Tecnologia do Blogger.