Os perigos da automedicação


Medicamento é o principal agente causador de intoxicação em crianças com até 14 anos, ficando à frente de causas como contato com animais peçonhentos ou venenosos, produtos domissanitários (detergentes, alvejantes, ceras, desinfetantes, repelentes, entre outros) e cosméticos.
O período de férias escolares é uma maravilha para os pequenos que, em casa, passam o dia buscando uma forma para se divertir. Para não ter dor de cabeça, é preciso adotar algumas medidas dentro de casa para garantir a diversão dos filhos e evitar problemas com as intoxicações acidentais.
Segundo um levantamento realizado pelo Centro de Atendimento Toxicológico (Toxcen) da Secretaria de Estado da Saúde, em 2016 foram registrados 1.661 casos de crianças nessa faixa etária intoxicadas por medicamentos. No ano anterior o número de casos foi de 1.219.
De acordo com o coordenador do Toxcen, Nixon Sesse, no período de férias escolares é necessário redobrar a atenção e os cuidados com as crianças dentro de casa. “Não foi constatado aumento de casos em períodos de férias, em nenhum ano até hoje, mas é preciso atenção”, disse.
Para evitar tais situações, uma das orientações é manter os medicamentos, produtos de limpeza e outros produtos intoxicantes guardados em local seguro, fora do alcance de crianças, como em armários trancados. Jamais guardar medicamentos vencidos também é um dos cuidados que devem ser adotados.

Automedicação
A automedicação também é outro fator em que há risco de intoxicação, em adultos e crianças. Muitas vezes, ingerir uma quantidade superior à indicada pelo médico ou até mesmo consumir remédios vencidos pode causar danos à saúde ou provocar alguma reação indesejada. Por isso é fundamental que os medicamentos utilizados sejam prescritos por um médico.

Adultos
Entre os adultos, a principal causa de intoxicação são os animais peçonhentos. Somente no ano passado foram registrados 3.705 casos. Medicamento é a segunda causa de intoxicação entre os maiores de 15 anos no Estado.
Entre adultos e crianças, o número de casos de intoxicações aumentou 5% de 2015 para 2016, passando de 11.651 casos para 12.236.
Em caso de intoxicação, população e profissionais da saúde podem ligar, gratuitamente, para o Toxcen, por meio do telefone 0800-283-9904. O serviço funciona 24 horas por dia.

Dados:
Total casos
2015 – 11.651 notificações.
2016 – 12.236 – aumento de 5% nas notificações.

Ranking das Notificações por Intoxicação em 2016
1º – Animais peçonhentos – 1º Escorpiões / 2º outros animais peçonhentos /3º serpentes / 4º aranhas
2º – Medicamentos
3º – Agrotóxicos
4º – Produtos Domissanitários  

Tabela 1: Comparativo das notificações de intoxicação em menores 14 anos segundo os agentes mais frequentes nos anos de 2015 e 2016, Toxcen/SESA/ES ¹.
AGENTES
2015
(nº)
2016
(nº)
Variação
(%)
Medicamentos
1.219
1.661
+36,3
Animais peçonhentos
737
798
+10,3
Produtos domissanitários
319
452
+42,6
Produtos químicos residenciais ou industriais
222
264
+20,7
Cosméticos e higiene pessoal
91
152
+68,1
Plantas e fungos
83
147
+80,7

Tabela2: Comparativo das notificações de intoxicação em maiores de 15 anos segundo os agentes mais frequentes nos anos de 2015 e 2016, Toxcen/SESA/ES¹.
AGENTES
2015
(nº)
2016
(nº)
Variação
(%)
Animais peçonhentos
3767
3705
-0,9
Medicamentos
2121
2177
+3,6
Agrotóxicos
666
722
+8,9
Drogas de abuso
658
382
-41,3
Produtos domissanitários
232
259
+11,2
¹ Dados sujeitos a alterações.
Tecnologia do Blogger.