Câncer tem cura. Previna-se

Ecobalsa: um conceito de mobilidade prático e sustentável na Grande Vitória

Motores ecológicos, trajeto diferenciado e segurança total estão entre os detalhes pensados para oferecer máximo conforto e tranquilidade aos usuários


Em operação no Rio de Janeiro desde 2008, as Ecobalsas são a nova aposta para otimizar, assegurar e complementar a mobilidade dos capixabas por meio do transporte aquaviário. A ideia é iniciar as operações até agosto, a princípio de forma turística nos fins de semana, e fazer a rota da Prainha, em Vila Velha, até a Praça do Papa, em Vitória, em um trajeto de seis minutos e com um visual de encher os olhos.

O projeto, trazido do estado vizinho pelos empresários Ricardo Herdy e Aníbal Abreu, é avaliado em R$ 6 milhões e já foi aprovado pelas prefeituras de Vitória, Vila Velha e Cariacica.

"Pensamos até em criar mais pontos. Diferentemente do aquaviário tradicional que já existiu, desta vez teremos outras propostas de funcionalidade: turismo e ecologia", afirma o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano de Vila Velha, Antônio Marcus Machado.

As Ecobalsas são embarcações do tipo catamarã, de dois cascos e 15 metros de comprimento. Elas comportam até 140 passageiros em assentos flutuantes e, por lá, ainda há um espaço reservado para transportar até 40 bicicletas.

Com a ideia de trabalhar a mesma tarifa do transporte público, que hoje equivale a R$ 3,20 no sistema Transcol, a passagem poderá ser adquirida por meio do mesmo cartão recarregável dos ônibus, do aplicativo para celular e, também, por dinheiro nas guaritas de pagamento, que serão dispostas no espaço que liga o píer de atracação das Ecobalsas à via pública.

Outro ponto importante para promover o funcionamento do novo sistema de transporte, segundo o vereador Fabricio Gandini, que cuida da Secretaria de Gestão, Planejamento e Comunicação de Vitória, é que este tipo de embarcação preza pelo meio ambiente por ser de mínimo impacto, extrema eficiência e total segurança.

Os barcos andam em velocidade de 6 a 8 nós (entre 10 e 15 km/h) e atendemos rigorosamente os padrões da Capitania dos Portos, segundo Ricardo Herdy, o empresário que começou o projeto em águas cariocas. “As embarcações foram especialmente projetadas para a navegação na Grande Vitória, que tem uma maré baixa que chega a apenas 40 centímetros”, afirma ele.

Além dos itens de proteção e segurança obrigatórios exigidos pela Capitania dos Portos, como coletes e pé direito alto, as balsas ainda são equipadas com recursos adicionais como toldo, rede de proteção para crianças, corredores amplos que facilitam o escoamento de passageiros e dois botes auto infláveis.

Toda a frota está garantida por seguro de responsabilidade civil e, para oferecer ainda mais tranquilidade aos clientes, as Ecobalsas também contam com um seguro adicional de acidente pessoal e despesas médico-hospitalares garantido pela Unimar Seguros.

MOBILIDADE URBANA

Se a princípio as Ecobalsas serão destinadas ao turismo, em um futuro próximo a ideia é expandir a funcionalidade para o transporte de passageiros de Vitória à Vila Velha também durante a semana.

Com a intenção de complementar o serviço dos ônibus, o transporte aquaviário reduz o número de carros no trânsito e melhora o conforto da população, principalmente nos horários de pico. “O transporte é ecológico, reduz os problemas e atrasos do trânsito, tem baixíssima emissão de carbono e preza pelo conforto dos usuários, que vão usufruir de uma rota que mostra toda a beleza da nossa baía”, completa o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano de Vila Velha, Antônio Marcus Machado.

SUSTENTABILIDADE
Com motor de 4 tempos, as Ecobalsas têm a emissão de gases e a poluição reduzidas, enquanto a estrutura em divinycell, material extremamente leve, contribui para a redução do tempo de transporte e espera de passageiros.

“Enquanto os ônibus emitem 600 gramas de dióxido de carbono (CO2) durante o trajeto da Prainha à Praça do Papa, as Ecobalsas emitem apenas seis”, afirma  Herdy.
Além disso, as duas embarcações do tipo catamarã que farão as viagens serão equipadas com redes de 5,5 metros, dispostas de ponta a ponta nos cascos, para recolher os lixos e impurezas jogados nas águas. Ao final do dia, a empresa Marca Ambiental será a responsável por recolher e cuidar da destinação final destes resíduos.

SOBRE AS ECOBALSAS
O sistema aquaviário planejado pela empresa Ecobalsas, na Barra da Tijuca, é o principal modal da região, já que o local é cortado por diversos canais e o transporte pela água facilita o acesso dos passageiros da praia aos centros comerciais da região e vice-versa. A empresa faz serviço de passeio e transporte pelas lagoas da Barra da Tijuca.

De acordo com o responsável pela empresa, Ricardo Herdy, o serviço, além de favorecer a mobilidade também apresenta baixo custo de operação. “São balsas leves, com calado baixo, projetadas para navegar e atracar em águas rasas, com capacidade de transportar até 140 passageiros e com baixíssimo impacto ambiental”, explica.
Tecnologia do Blogger.