Câncer tem cura. Previna-se

A Presidenta Fica! Corregedoria do Tribunal de Justiça do ES nega pedido de correição parcial na Vara da Fazenda Pública da Serra

A política da Serra anda bastante tumultuada nas últimas semanas! Em julho, ainda no recesso parlamentar, o juiz Marco Aurélio Soares Pereira, da Vara da Fazenda Pública do município, concedeu uma liminar em um mandado de segurança anulando a eleição da Mesa Diretora. No dia seguinte, os vereadores se reuniram em sessão extraordinária e elegeram uma nova Mesa. O vereador Rodrigo Caldeira (Rede) foi eleito presidente, mas mal chegou a esquentar a cadeira.

Mas, as coisas na cidade, que conta hoje, com uma população que já quase bate a casa de meio milhão, mudaram. Depois da decisão que devolveu a presidência da Mesa Diretora à vereadora, quatro dias depois de o juiz substituto ter anulado a eleição do dia 1 de janeiro, que foi marcada pelo embate, com direito a xingamentos e agressões, entre vereadores do grupo do deputado federal Sérgio Vidigal (PDT) e do prefeito Audifax Barcelos (Rede), a presidente da Câmara da Serra, Neidia Pimentel (PSD), venceu mais uma batalha na Justiça e se mantém a frente do Legislativo municipal.

Foto: Luciene Costa / Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal da Serra

Os vereadores tiveram pedido de correição parcial na Vara da Fazenda Pública da Serra que, deu decisão favorável à manutenção da vereadora na presidência negado pela Corregedoria do Tribunal de Justiça do Estado. A decisão da Corregedoria é da última quinta-feira (10), publicada no diário da Justiça dessa segunda-feira (14).

No dia 1 de agosto, a juíza Telmelita Guimarães Alves, da Vara da Fazenda Pública da Serra, acatou o embargo de declaração apresentado pela defesa da Presidenta que foi reconduzida ao cargo. De volta ao trabalho, os vereadores pareciam ter superado o embate, mas o grupo derrotado decidiu recorrer, levantando suspeição na decisão de primeira instância.

Mas, sem obter êxito na Corregedoria, caberá ao grupo agora tentar uma apelação no Tribunal de Justiça, o que vai esticar ainda mais a corda na Câmara Municipal da Serra.

Dia da Posse



 A confusão aconteceu porque na eleição de janeiro deste ano, Neidia Maura estava inscrita em duas chapas. Porém, na hora de decidir em qual das chapas ficaria, ela optou permanecer na chapa de situação como presidente, o que gerou tamanho tumulto que foi preciso à força policial agir para a segurança de vereadores e de público presente na Plenária da casa.


A decisão gerou revolta nos vereadores de oposição, que se sentiram traídos pela vereadora, que na época contou a nossa reportagem que, “eu não traí ninguém, e sim fui traída”, dando início à troca de ofensas e de empurra-empurra e até mesmo agressões. 


Tecnologia do Blogger.