Câncer tem cura. Previna-se

Grupo de professores de Santa Maria de Jetibá fazem viagem de estudos à regiões históricas de imigração germânica no Espírito Santo


A imigração germânica no Espírito Santo esteve vinculada ao processo de colonização baseado na pequena propriedade, promovida por iniciativa do Estado brasileiro desde a segunda metade do século XX. Os seguintes grupos germânicos chegaram ao Estado capixaba: hunsrücker (1847); suíços (1857); luxemburgueses (1858); pomeranos (1859); zelandeses (Holanda, 1859); tiroleses (Áustria, Itália, 1860).

Na colônia de Santa Leopoldina, que abarcava áreas situadas nos atuais municípios de Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Domingos Martins e Santa Teresa, as regiões em que os imigrantes foram assentados receberam o nome que lembra a procedência dos colonos: Holanda, Tirol, Luxemburgo, Suíça e Alta Pomerânia.

Com o intuito de conhecer melhor algumas das citadas regiões, a história, línguas e culturas desses grupos de imigrantes, no dia 12 de agosto de 2017 o Programa de Educação Escolar Pomerana (Proepo), vinculado à Secretaria de Educação, realizou com um grupo de professoras e professores do município uma viagem de estudos à regiões históricas de imigração germânica no Espírito Santo. Na oportunidade, eles visitaram locais pertencentes à antiga colônia de Santa Leopoldina, a saber: Luxemburgo, Tirol, Holanda, Holandinha e Suíça.

Embora a maioria dos descendentes tenha migrado para outras regiões do Estado do Espírito Santo e de outros estados, os antigos locais guardam relação com o passado dos imigrantes, como casas, instrumentos musicais, igrejas, cemitérios, vendas. O terreno acidentado, estradas estreitas e a distância dos centros urbanos nos revelam um pouco das dificuldades pelas quais os camponeses passaram nos primeiros tempos da colonização.

Com informações:Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Santa Maria de Jetibá
Tecnologia do Blogger.