Câncer tem cura. Previna-se

Câmara de Aracruz abre comissão contra vereador após confusão em motel


A Câmara de Vereadores de Aracruz, no Norte do Estado, abriu na segunda-feira (25) uma comissão para investigar quebra de decoro do vereador Beto Negreiro (PRB). O político teria entrado em uma confusão em um motel da cidade, no dia 20 de agosto, quando supostamente brigou com um casal. Beto teria prometido pagar uma quantia de R$ 800 a um homem, caso ele deixasse a esposa transar com o vereador.

Porém, já no motel, o vereador teria se descontrolado e promovido um quebra-quebra. Além disso, ele ainda teria dito que tinha uma arma dentro do carro. A confusão foi grande e até a Polícia Militar foi chamada para apartar a briga. Segundo o boletim de ocorrência, o quarto do motel, que fica na zona rural do município, foi totalmente danificado. A PM revistou os envolvidos, o quarto e os carros e encontrou embalagens utilizadas para embalar cocaína, já sem a droga.

Para os militares, Negreiro afirmou que convidou o casal para ir ao motel e, chegando lá, eles teriam tentado matá-lo. Já o casal alegou que, ao chegar ao quarto do local, o vereador ficou enciumado quando viu os dois juntos e teria começado a confusão. Ambos alegam que o político tentou agredi-los e quebrou objetos do quarto.

Eles ainda afirmam que Negreiro teria ameaçado os dois caso tentassem sair do motel e teria dito que tinha uma pistola calibre 380 no carro. Os policiais fizeram buscas no veículo do político, mas não encontraram a arma.

De acordo com o presidente da Câmara de Vereadores de Aracruz, Alcântaro Filho (Rede), chegou uma denúncia com a cópia do boletim de ocorrência à Mesa Diretora da Casa e eles decidiram investigar o caso. “O caso vai contra nosso regimento interno, então por unanimidade os vereadores decidiram instaurar a comissão processante, com direito a ampla defesa de Beto Negreiro”, explicou.

A pena para a quebra de decoro pode ser até a cassação do mandato, disse Alcântaro. A comissão foi sorteada e será composta por cinco vereadores, sendo Toni Loureiro (PP) o presidente, Celso Dias (PRB) o relator e fazem parte ainda Mônica Cordeiro (PDT), Carlinhos do Josiel (PP) e Adeir do Gás (PDT).

“A partir de agora, a comissão tem cinco dias para notificar Beto Negreiro e ele terá 10 dias para apresentar sua defesa. Depois terá uma nova reunião sobre o processo administrativo, será feito um relatório e vai a plenário para decidir ou não pela cassação do vereador”, afirmou o presidente da Câmara.

Alcântaro disse que o atual momento do país atrapalha a imagem dos políticos, por isso é importante levar à frente uma denúncia como essa contra Negreiro. “A gente tem trabalhado de forma conjunta para fortalecer a moral da imagem dos vereadores, construir uma imagem positiva da Câmara. Diante da gravidade da denúncia, a gente não poderia se omitir”, alegou.

Além disso, o presidente da Casa destacou a importância da defesa do vereador. “É importante o Beto se defender, o plenário decidir seu futuro, tudo para manter a moral, os bons costumes e o decoro na Câmara. Confio na comissão e em sua imparcialidade”, contou Alcântaro.

Ele ainda informou que Negreiro não se opôs à formação da comissão. “O vereador entende como uma oportunidade de apresentar sua defesa”, garantiu o presidente da Casa. Alcântaro ainda explicou que a Câmara está à disposição para esclarecimentos.

O vereador Beto Negreiro foi procurado pela reportagem durante a tarde desta quarta-feira (27), mas não conseguimos contato pelo celular e o vereador também não estava no gabinete dele.

Com informações do portal Notícias da Hora.
Tecnologia do Blogger.