Conheça os vencedores do 24º Festival de Cinema de Vitória




Na 7ª Mostra Competitiva Nacional de Longas, “Como Nossos Pais”, de Laís Bodanzky, ganhou como Melhor Filme pelo Júri Popular, enquanto “Baronesa”, de Juliana Antunes, arrebatou Melhor Filme pelo Júri Técnico



Após seis dias de uma maratona de exibições, homenagens, oficinas e debates, o 24º Festival de Cinema de Vitória chegou ao fim na noite do último sábado, no Teatro Carlos Gomes, com a premiação dos melhores filmes em diversas categorias. A cerimônia, que contou com a apresentação do jornalista Nick Teixeira e da produtora executiva do festival, Larissa Delbone, distribuiu ao todo 23 Troféus Vitória, além de menções honrosas e premiações extras.
A noite de encerramento foi marcada ainda pelas sessões especiais do curta-metragem capixaba “Minhas Horas com Camomila”, de Tati Rabelo e Rodrigo Linhales, e do longa “Introdução à Música do Sangue”, dirigido por Luiz Carlos Lacerda e estrelado por Ney Latorraca e Bete Mendes. Os alunos da Oficina de Realização em Cinema e Vídeo, conduzida por Lacerda, também exibiram um curta produzido durante as aulas, “Volta com a Gabi”.  
Entre os vencedores, os destaques da 21ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas foram “Merencória”, que levou o Troféu Vitória de Melhor Direção (Caetano Gotardo) e o Prêmio Especial do Júri; “Diamante, o Bailarina”, de Pedro Jorge, vencedor dos troféus de Melhor Interpretação (Sidney Santiago) e Melhor Filme (Júri Popular); e “O Quebra-Cabeça de Sara”, de Allan Ribeiro, eleito o Melhor Filme (Júri Técnico). Já os alunos da Oficina de Crítica Cinematográfica, comandada pelo jornalista André Dib, escolheram “Estás Vendo Coisas”, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, como Melhor Filme.

Já na 7ª Mostra Competitiva Nacional de Longas, dois filmes dividiram os seis troféus previstos para essa janela de exibição: “Como Nossos Pais”, de Laís Bodanzky, ganhou nas categorias Melhor Interpretação (Clarisse Abujamra), Melhor Direção e Melhor Filme (Júri Popular); enquanto “Baronesa”, de Juliana Antunes, arrebatou os prêmios de Melhor Contribuição Artística, Melhor Roteiro e Melhor Filme (Júri Técnico).

Festival
Iniciado na última segunda-feira (11), o 24º Festival de Cinema de Vitória é o mais tradicional evento de audiovisual do país. Ao longo de seis dias, foram exibidos mais de 100 filmes, divididos em 11 mostras competitivas e não competitivas. Além do Teatro Carlos Gomes, as atividades aconteceram no Hotel Senac Ilha do Boi e na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), incluindo as homenagens à atriz e dramaturga Margareth Galvão, ao designer Ronaldo Barbosa e a homenagem nacional à atriz e cantora Zezé Motta.
Uma realização da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA), o 24º Festival de Cinema de Vitória acontecerá entre os dias 11 e 16 de setembro e conta com o patrocínio do Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, e da Petrobras, com o apoio institucional da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo, da Cesan, da Secretaria de Cultura da Universidade Federal do Espírito Santo, do Banestes e do Canal Brasil, e com o apoio da Rede Gazeta, da Prefeitura de Vitória, ArcelorMittal, da Academia Internacional de Cinema, da CiaRio, da Mistika e da Link Digital.

VENCEDORES DO 24º FESTIVAL DE CINEMA DE VITÓRIA
21ª MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE CURTAS
- Prêmio da Oficina de Crítica
Estás Vendo Coisas, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca

- Menção Honrosa
Divina Luz, de Ricardo Sá 

- Melhor Interpretação
Sidney Santiago, por Diamante, O Bailarina

- Melhor Contribuição Artística
Hotel Cidade Alta, de Vitor Graize

- Melhor Roteiro
Samuel Lobo, por O Olho do Cão

- Melhor Direção
Caetano Gotardo, por Merencória

- Melhor Filme (Júri Popular)
Diamante, o Bailarina, de Pedro Jorge

- Prêmio Especial do Júri
Merencória, de Caetano Gotardo

- Melhor Filme (Júri Técnico)
O Quebra-Cabeça de Sara, de Allan Ribeiro

7ª MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE LONGAS
- Melhor Interpretação
Clarisse Abujamra, por Como Nossos Pais

- Melhor Contribuição Artística
Baronesa, de Juliana Antunes

- Melhor Roteiro
Baronesa, de Juliana Antunes

- Melhor Direção
Laíz Bodanzky, por Como Nossos Pais

- Melhor Filme (Júri Popular)
Como Nossos Pais, de Laís Bodanzky

- Melhor Filme (Júri Técnico)
Baronesa, de Juliana Antunes

6ª MOSTRA FOCO CAPIXABA
- Menção Honrosa
Labor, de Thiago Moulin

- Melhor Filme (Júri Técnico)
C(elas), de Gabriela Santos Alves


MOSTRA NACIONAL DE VIDEOCLIPES
- Melhor Filme (Júri Popular)
Território do Bem, de Tati Rabelo e Rodrigo Linhales

2ª MOSTRA MULHERES NO CINEMA
- Melhor Filme (Júri Popular)
Revejo, de Láisa Freitas

2ª MOSTRA CINEMA E NEGRITUDE
- Melhor Filme (Júri Popular)
Na Quebrada, de José Augusto Muleta

4ª MOSTRA OUTROS OLHARES
- Melhor Filme (Júri Popular)
Transvivo, de Tati W Franklin

18º FESTIVALZINHO DE CINEMA DE VITÓRIA
- Melhor Filme (Júri Popular)
Luiz, de Alexandre Estevanato

4ª MOSTRA DE ANIMAÇÃO – SESSÃO ESPECIAL PETROBRAS
- Melhor Filme (Júri Popular)
Sob o Véu da Vida Oceânica, de Quico Meirelles

7ª MOSTRA QUATRO ESTAÇÕES
- Menção Honrosa
Wonderfull – Meu eu em Mim, de Dário Jr.

- Melhor Filme (Júri Técnico)
Stanley, de Paulo Roberto

6ª MOSTRA CORSÁRIA
- Menção Honrosa
Black Catolic Galactic, de Henrique do Carmo

- Menção Honrosa
A Morte do Cinema, de Evando Freitas

- Melhores Filmes (Júri Técnico)
Piano Forte, de Anabela Roque
Sea Studies [Baltics], de Miro Soares

Premiações Extras
- Prêmio Canal Brasil de Curtas
Estás Vendo Coisas, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca

- Prêmio CiaRio-Brasil e Prêmio Mistika
Diamante, o Bailarina, de Pedro Jorge (seguindo o Melhor Filme pelo Júri Popular)

- Prêmio CiaRio-Brasil, Academia Internacional de Cinema e Link Digital
O Quebra-Cabeça de Sara, de Allan Ribeiro (seguindo o Melhor Filme pelo Júri Técnico)

Tecnologia do Blogger.