Câncer tem cura. Previna-se

Você come por fome ou emoções?

Já chegou em casa algum dia estressado (a), exausto (a) e teve a sensação de que tudo o que come não é suficiente?

Segundo a nutricionista clínica funcional da Dietética Refeições, Mariana Herzog, a sensação desconfortável de vontade de comer é uma das barreiras mais comuns para a perda de peso porque impulsiona excessos e faz dieta falhar, mesmo naqueles que não são obesos, isso pode frequentemente acontecer.

O desejo de comer pode ocorrer na ausência de fome e muitas pessoas assumem que estão com fome, quando a fome fisiológica não está presente, ou seja, não sabem diferenciá-las. Nesse caso podem confundí-la com outra experiência como tristeza, ansiedade, dor ou angustia, dentre outros sentimentos. Precisamos saber distingui-las”, explica a nutricionista. 

Ela, que também é mestre em Ciências Fisiológicas, garante que a fome corresponde a uma condição fisiológica diferente ao desejo de comer.

“Na fome o estômago ronca, sentimo-nos fracos, um pouco irritados, geralmente já se passou algum tempo desde a última refeição e podemos comer qualquer coisa para suprir o mal estar. Já o desejo de comer é diferente, pois não existem sinais físicos de fome”, justifica.

“Nesse caso temos desejos específicos, por exemplo, comer um doce ou um salgado. Geralmente não se passou tanto tempo após a última refeição e nos vemos “passeando” pela cozinha em busca de algo que nem sempre se sabe o que é”, disse.

Para resolver essa questão, siga as dicas da nutricionista:

Pense sobre o que você sente quando está com fome. Se perceber que o uso da comida está relacionado à distração ou outros sentimentos que não a fome fisiológica, você deve buscar então outras distrações e outros afazeres. E se mesmo assim ainda ficar difícil diferenciá-las faça o seguinte: fique sem comer por algumas horas, o máximo que conseguir. Anote a sensações físicas que irá experimentar e que certamente está associada à ingestão de alimentos. Observe seus sentimentos, seu estomago e a necessidade de comida. A partir desse treinamento, condicione-se a comer somente quando vier essa sensação novamente.

Ao saber diferenciar a fome da vontade de comer é fundamental que você consiga parar de comer antes de se sentir cheio ou empazinado. Uma maneira eficaz de saber se você comeu uma quantidade satisfatória é observar quantas horas após a refeição você sentiu fome novamente. Imagine a seguinte situação: um almoço numa churrascaria a rodizio, momento em que normalmente ocorre exagero. Existem pessoas que não comerão mais nada no mesmo dia, isso quer dizer que houve um extremo exagero de quantidade de comida. O correto é sentir fome entre 3-4 horas após a última refeição.

As pessoas devem ter consciência sobre um fato importante. Todos nós nascemos com a capacidade de respeitar esses mecanismos, mas ao longo dos anos vamos perdendo nossas sensações íntrinsecas e muitas das vezes iremos ganhar peso por isso, ressalta.

A nutricionista recomenda que os pais aprendam com os filhos.

Observe o comportamento das crianças. Na maioria das vezes elas sabem e respeitam esse mecanismo. Mas nós, os adultos, frequentemente a intimamos a “comer tudo do seu prato” na hora das refeições, sem levar em conta se ela realmente está sentindo fome. Isso tem implicações desastrosas para a saúde da criança, pois os hábitos aprendidos cedo tendem se a repetir e com o tempo a criança fica incapaz de reconhecer a fome”, dispara.

“A solução para alcançar o equilíbrio de energia e peso pode ser tão simples que passa despercebido na nossa rotina. Vamos colocá-la em prática”, finaliza.
Tecnologia do Blogger.