Câncer tem cura. Previna-se

Aracruz não registra nenhum caso de dengue


A preocupação com o combate ao mosquito Aedes aegypti tem dado resultado em Aracruz. Neste ano de 2017, o município registrou, até neste dia 04 de outubro, 410 casos notificados de suspeita de dengue. Destes nenhum foi confirmado. A informação é da Secretaria de Saúde (Semsa) da Prefeitura de Aracruz.

Segundo a Semsa as visitações de casa em casa continuam acontecendo normalmente e a população continua sendo orientada pelos agentes de combate a endemias a eliminarem todo e qualquer potencial criadouro do mosquito aedes aegypti.

De acordo com a Secretaria a picada do mosquito não transmite a dengue, ele precisa estar contaminado pelo vírus. Por isso a Prefeitura realiza ações de bloqueios, eliminando os mosquitos que possam picar a pessoa doente e dar início a transmissão no município.

A Semsa lembra da importância de que cada pessoa esteja atenta em eliminar os potenciais criadouros em casa, com atitudes simples como manter caixas d’água tampadas, calhas desentupidas e vasos de plantas sem o prato. “Apesar de nenhum caso confirmado de dengue, todos têm que continuar eliminando os locais com água parada, que é onde o mosquito Aedes se reproduz. A população precisa fazer a sua parte no descarte e armazenamento dos objetos, para que continuemos com os bons resultados”, alerta a secretaria.

Conheça algumas medidas preventivas contra dengue:
  • Evitar água parada.
  • Sempre que possível, esvaziar e escovar as paredes internas de recipientes que acumulam água.
  • Manter totalmente fechadas cisternas, caixas d’água e reservatórios provisórios tais como tambores e barris.
  • Furar pneus e guardá-los em locais protegidos das chuvas.
  • Guardar latas e garrafas emborcadas para não reter água.
  • Limpar periodicamente, calhas de telhados, marquises e rebaixos de banheiros e cozinhas, não permitindo o acúmulo de água.
  • Jogar quinzenalmente desinfetante nos ralos externos das edificações e nos internos pouco utilizados.
  • Drenar terrenos onde ocorra formação de poças.
  • Não acumular latas, pneus e garrafas.
  • Encher com areia ou pó de pedra poços desativados ou depressões de terreno.
  • Manter fossas sépticas em perfeito estado de conservação e funcionamento.
  • Não despejar lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos, mantendo-os desobstruídos.
  • Não cultivar plantas aquáticas.
Tecnologia do Blogger.