Câncer tem cura. Previna-se

Da bolsa de estudo ao primeiro milhão

A empresária Roberta Lasnaux conta como enfrentou as dificuldades financeiras e alcançou o sucesso profissional  
 

29 anos, publicitária de formação e empreendedora por vocação. Há 8 anos Roberta Lasnaux começou a escrever a sua história de sucesso. Uma trajetória com resultados rápidos, mas uma vitória conquistada às custas de muito trabalho, dedicação e foco nos objetivos. 
 
"Acredito que a minha vida empreendedora iniciou muito antes de abrir meu próprio negócio, pois as pessoas que me conhecem e me seguem nas redes sociais sabem que não acho que empreendedorismo é trabalhar em um negócio próprio, mas sim um estilo de vida e de pensar", afirma Roberta que hoje é sócia-fundadora de uma agência de Marketing Promocional e Eventos na Capital Paulista, a Zull Comunicação que fatura mais 1 milhão de reais por ano e atende clientes como: Libbs, Ambev, Honda, além de shoppings e Hospitais. 
 
Aos 21 anos Roberta Lasnaux tinha um emprego estável num dos mercados mais consolidados do Brasil, o setor bancário. Mas o trabalho que lhe rendia dividendos e tinha sido fundamental para o projeto de vida que ela traçou, logo perdeu a importância. O banco representava uma possibilidade de carreira e crescimento profissional mas ela queria mais que isso. 
 
"Eu acredito que quando se quer muito algo e se tem muito claro o que se deseja, o mundo  todo conspira a seu favor", observa. 
 
O estilo de vida empreendedor se iniciou com o sonho de ingressar na faculdade. Roberta conta que a família não tinha condições de bancar os seus estudos e otrabalho como recepcionista mal dava para cobrir as despesas pessoais. Ela conseguiu uma bolsa de 50% no ProUni e caminhava 6 quilômetros do trabalho para a faculdade para economizar o complemento da mensalidade. Logo descobriu que só a formação acadêmica não seria suficiente, precisava fazer um intercâmbio no exterior e dominar o inglês. Mais uma vez precisou fazer uma ginástica financeira e criou um plano estratégico meticuloso para pagar a viagem, conseguir viver no exterior e ter dinheiro para pagar a faculdade quando retornasse ao Brasil. 
 
"Realizei um planejamento minucioso, entrei para a iniciação científica e consegui mais 20% de bolsa, conversei com professores para realizar trabalhos no Canadá e não perder aulas e notas. A rescisão de contrato no banco e a venda de um carro garantiram o dinheiro do sustento e a meta foi alcançada. Em três meses voltei falando inglês e pronta para novos desafios", acrescenta. 
 
Um curso no Sebrae e o prêmio do "perfil do empreendedor" mostraram a Roberta que ela estava no caminho certo. A Zull Comunicação surgiu logo depois que ela saiu da faculdade. Mas como todo início de negócio, ela precisou fazer ajustes.    
 
"O primeiro cliente pagava R$ 300,00 por mês, dinheiro que eu usava para pagar o aluguel de uma salinha e a conta do telefone. Quando faltava dinheiro, eu fazia trabalhos avulsos em outras áreas para ajudar a pagar as contas", relembra. 
 
As dificuldades para administrar o negócio não demoraram a aparecer.  Encontrou um sócio que fez um aporte financeiro no negócio mas a inadimplência muito alta quase levou a agência a falência. Ficou sem crédito e precisou mais uma vez lançar mão de estratégias criativas para dar a volta por cima. 
 
"A minha vontade de ser reconhecida e o brilho nos olhos sempre foram muito grandes e pensava, que se alguém conseguiu, eu também consigo e isso me deu forças para seguir em frente", atesta. 
 
As dificuldades enfrentadas nos primeiros momentos da empresa valeram como aprendizado. Roberta soube tirar dali todas as lições necessárias para fazer o negócio evoluir e atingir as metas esperadas. Ela conseguiu se reestruturar e alcançar o equilíbrio na gestão da agência. Depois de dois anos e mesmo no meio da maior crise econômica da história do País, a Zull Comunicação virou um case de sucesso com faturamento acima de um milhão de reais e uma carteira de clientes que não para de crescer.    
 
"A cada ano percebo que o meu amadurecimento é mais veloz, óbvio que sei que isso não me garante nada financeiramente porque negócio é risco constante, mas como pessoa sim evolui e continuo evoluindo muito". 
 
Equilíbrio, definição de metas e foco nos resultados são os pontos que Roberta destaca como fundamentais para o empreendedor alcançar o tão almejado sucesso nos negócios. As lições da jovem empresária que precisou de oito anos para trilhar o caminho que a levou da bolsa de estudo ao primeiro milhão fazem sucesso nas palestras que Roberta costuma fazer sobre empreendedorismo. No perfil que criou no Instagram, ela compartilha as lições que aprendeu ao longo desta jornada e a história repleta de adversidades e conquistas serve de inspiração para os milhares de brasileiros que estão neste momento buscando novos caminhos profissionais. 
 
"Acredito ainda estar no começo da minha caminhada para atingir todos os meus objetivos e principalmente alcançar a liberdade financeira, porém posso garantir que a fase mais difícil é o começo, depois você escalona e replica os conhecimentos, mas se tentar pular esta fase o tombo lá de cima é muito mais dolorido ou talvez fatal", conclui a empresária.  
Tecnologia do Blogger.