Câncer tem cura. Previna-se

Mitos e verdades sobre o trigo

No Dia do Trigo, celebrado nesta sexta-feira (10), nutricionista desmistifica polêmicas sobre um dos cereais mais cultivados no mundo


Rico em carboidratos, vitaminas do complexo B, zinco e vitamina E, nutrientes importantes para o bom funcionamento do corpo, o trigo é o segundo tipo de cereal mais cultivado em todo o mundo e é considerado alimento básico para produção de diversos alimentos. 
Fontes de energia, esses alimentos à base de trigo como pães, massas e bolos são frequentemente retirados da alimentação por serem considerados calóricos e ricos em carboidratos. O que muitas pessoas ainda não sabem, é que a falta de carboidratos no cardápio pode ser pode ser prejudicial à saúde.

O trigo é um cereal nutritivo, rico em carboidratos, vitaminas do complexo B, zinco e vitamina E, nutrientes importantes para o organismo. Quando usado em preparações feitas em casa, o cereal tem ainda mais benefícios, pois é possível controlar a quantidade de sal, açúcar e gordura nas receitas, que são itens que oferecem mais ricos à saúde, quando consumidos em excesso”, explica a nutricionista Vanderli Marchiori.

A especialista ressalta que o trigo não deve ser banido do cardápio diário de pessoas que não apresentam nenhum tipo de restrição alimentar, como o glúten, por exemplo. “Há uma preocupação exagerada com a alimentação, onde as pessoas estão excluindo ingredientes e alimentos que sempre fizeram parte da nossa cultura e cardápio diário e, agora, são taxados como “vilões”, mas, na verdade, são fundamentais para a saúde do corpo”, afirma.
Vale lembrar que, mesmo para dietas funcionais, há no mercado variedades de farinhas de trigo para atender à demanda do consumidor, que tem buscado por produtos de alta qualidade, e, cada vez mais, com composições naturais e saudáveis. 
“As empresas do setor tem investido em inovação, renovando a produção de farinhas de trigo e apostando em compostos mais saudáveis, que atendam as necessidades específicas do consumidor. É o caso das farinhas de trigo enriquecidas com fibras, vitaminas, em versões integrais e com mais nutrientes”, afirma Antonio Alves da Silva Junior, responsável técnico de pesquisa e desenvolvimento de produtos da Buaiz Alimentos.
A nutricionista lembra, também, que muito se ouve falar sobre a restrição no consumo de trigo e seus derivados, principalmente, pela presença do glúten. Mas reforça que o movimento “glúten-free”, fortemente propagado atualmente, não deve ser atrelado ao controle de peso ou ser visto como uma prática saudável.
“A restrição deve estar ligada apenas ao controle de alguma doença ou condição adversa ao consumo e essa pratica deve ser adotada somente após diagnóstico e recomendação médica para que não haja nenhuma deficiência nutricional”, afirma.
Para ajudar a esclarecer estas e outras questões, confira alguns mitos e verdades associados ao consumo de trigo e seus derivados, de acordo com a nutricionista.

Confira alguns mitos e verdades associados ao consumo de trigo e seus derivados, de acordo com a nutricionista.
1 – O trigo é um cereal nutritivo.
VERDADE- O trigo é um cereal que possui diversas substâncias benéficas. Ele é rico em carboidratos, proteínas e fibras. Possui vitaminas do complexo B, zinco e antioxidantes.
2 – O trigo contém glúten, por isso ele deve ser abolido da alimentação.
MITO: O glúten é uma proteína encontrada em diversos cereais como trigo, centeio e, inclusive, na aveia, ingrediente muito usado em dietas saudáveis e funcionas. Não há provas que a retirada do trigo (e glúten) da alimentação traga benefícios para a saúde, exceto nos casos de quem possui restrição a esta proteína.  Inclusive sua retirada pode resultar em inadequação no consumo de vitaminas do complexo B, ferro e fibras.
Somente quem é celíaco (doença do sistema imunológico que provoca inflamação no intestino e gera sintomas como diarreia, dores abdominais e carência de alguns nutrientes) ou Sensível Não Celiaco ao Gluten deve retirar o glúten da alimentação, o que representa cerca de 2% ate 6% da população.
3 – Alimentos com glúten, à base de farinha de trigo, têm calorias semelhantes a alimentos sem glúten, feitos com outras farinhas.
VERDADE: Os mesmos alimentos ou preparações feitos com outros tipos de farinhas, com e sem glúten possuem valor calórico semelhante.  Sendo assim, consumir alimentos sem trigo para reduzir as calorias da alimentação não tem fundamento.
4 – Para emagrecer é preciso deixar de comer alimentos feitos com farinha de trigo, como pães, tortas, bolos.
MITO: Como a farinha e os alimentos derivados do trigo fazem parte do grupo de alimentos energéticos, é comum que sejam associados ao ganho de peso. É necessário esclarecer que apenas o excesso e o desequilíbrio no consumo de qualquer alimento podem levar ao ganho de peso.  Cortar o carboidrato, principal nutriente presente na farinha de trigo, pode causar cansaço, irritabilidade e falta de energia.
5 – Diabéticos devem evitar consumir trigo e alimentos feitos de farinha de trigo.
MITO: Com os avanços do tratamento farmacológico e de estudos que relacionam a interferência da nutrição nessa patologia, concluiu-se que não há razão para diabéticos cortarem o carboidrato da alimentação. Ele deve ser mantido para garantir o aporte de energia.
A recomendação é que as quantidades, frequência de consumo e combinações de alimentos devem ser ajustadas conforme tratamento médico e nutricional.
Tecnologia do Blogger.