PM e TJ assinam convênio para cessão de policiais da reserva ao Judiciário



O Governo do Estado, por meio da Polícia Militar, e o Poder Judiciário Estadual assinaram um convênio para cessão de 40 policiais militares da reserva para atividades em fóruns e comarcas do interior do Estado. Esses policiais se juntam a outros 50 que já atuam na Grande Vitória desde maio deste ano. A folha salarial dos militares cedidos passa a ter um valor adicional, pago pelo Tribunal de Justiça. 
 A solenidade, que aconteceu no gabinete do governador Paulo Hartung, no Palácio Anchieta, na tarde desta quarta-feira (29), contou com presença do secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, André Garcia, do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nylton Rodrigues, do presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, Annibal de Rezende Lima, do secretário da Casa Civil, José Carlos da Fonseca, e de demais magistrados e autoridades.
 Durante a reunião de trabalho, o governador Paulo Hartung explicou que os Poderes Executivo e Judiciário encontraram uma alternativa inovadora para utilização de policiais militares na prestação de serviço aos órgãos subordinados ao Tribunal de Justiça. Hartung destacou ainda que o Poder Judiciário contará com policiais da reserva que são experientes e qualificados.
 “Tivemos que superar um conjunto de desafios e, ‘a várias mãos’, conseguimos colocar de pé essa parceria, que é extraordinária. Na ponta, quem ganha é a sociedade que terá a manutenção dos policiais da ativa na atividade ostensiva de nossas cidades. É uma solução inovadora que permite fazermos mais e avançarmos na área pública. Neste ato celebramos gestão e inovação para resolver desafios”, destacou o governador.
 O secretário André Garcia também ressaltou a importância do Poder Judiciário na construção de parcerias que reforcem a Segurança Pública capixaba.
 “Essa parceria entre executivo e judiciário oportuniza gestão de excelência da máquina pública e estende aos militares da reserva que ainda possuem energia para continuar contribuindo com a sociedade”, pontuou.
 A remuneração extra dos 40 militares será de responsabilidade do judiciário, que integra esses profissionais a sua folha salarial.
 Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nylton Rodrigues, o novo convênio vai permitir que policiais reforcem a renda familiar, mas também continuem contribuindo com a segurança e com a justiça capixaba.
 "Essa é uma parceria importante para os policiais que ainda reúnem condições de continuar atuando, atendendo os capixabas e nossos magistrados. E é importante para a corporação porque mostra que com diálogo e confiança podemos conquistar relações frutíferas com outras esferas", destacou o coronel. 

Tecnologia do Blogger.