R$ 2,7 Bilhões de faturamento nas vendas de Natal 2017, diz Fecomércio-ES

Comércio varejista poderá apresentar um faturamento real de R$ 2,7 bilhões. Estimativa é da Fecomércio-ES


O empresário do comércio varejista está mais confiante para as vendas do Natal 2017. É o que diz a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Espírito Santo (Fecomércio-ES), que diante de um cenário mais favorável, em comparação ao ano passado, estima uma alta de 2,3% nas vendas do comércio varejista no Natal 2017. O valor representa um faturamento real em torno de R$ 2,7 bilhões, após dois anos consecutivos de perdas. Em 2016, a retração registrada foi de 7,9%, e em 2015, a redução foi de 10,4% em relação ao ano anterior.

Além disso, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) de Vitória no mês de outubro, mostrou melhora nas expectativas para os próximos meses, o que tem entusiasmado os comerciantes. Quando questionados sobre a expectativa de contratação de funcionários, 71,2% afirmaram que pretendem aumentar o quadro de funcionários para os próximos meses.

O presidente da Fecomércio-ES, José Lino Sepulcri, avalia que à medida que a confiança dos empresários aumente, eles estarão mais dispostos a investir e contratar. “Com o aumento dos investimentos e as contratações, a “roda” do emprego volta a girar e, aos poucos, as pessoas também recuperam a capacidade de consumo. O grande desafio continua sendo a retomada da disposição do consumo das famílias, que depende da recuperação dos empregos. E isso vale também para todos os setores produtivos da economia”, explica Sepulcri.

Devido ao apelo emocional da data, as pessoas não deverão deixar de presentear. Porém, é esperado que o consumidor opte por presentes de valores mais acessíveis e o valor desembolsado deverá ficar entre R$ 80 a R$ 120. Entre os segmentos que registram maior movimento no período são os de vestuário, brinquedos, eletroeletrônicos e telefonia celular, aponta o levantamento.

Contratações

Com a expectativa de aumento na demanda, as contratações temporárias (sazonais) também aumentam. A entidade prevê a criação de 5 mil empregos temporários até o fim do ano, considerando setembro a dezembro, e que acontecem com mais expressividade nos dois últimos meses. Destes, aproximadamente 1.500 dos temporários (30%), podem ser efetivados para o ano que vem.  
A expectativa mais otimista para as vendas do Natal deste ano foi influenciada por uma soma de fatores. Entre eles está a melhora no mercado de trabalho no Espírito Santo, que movimentou cerca de R$ 3,5 bilhões em salários no terceiro trimestre de 2017. Número é 5,5% maior do que o registrado para o mesmo período de 2016, representando R$ 184 milhões a mais em circulação na economia do Estado. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua - Trimestral), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segmentos em alta

Outro fator importante foi a queda da inflação no país e no estado, que refletiu nos itens típicos consumidos nessa época. Nos últimos 12 meses houve recuos significativos, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) medido para a Grande Vitória, entre os quais se destacam: alimentação no domicílio (-5,92%), Eletrodomésticos e Equipamentos (-5,77%), TV, som e informática (-7,28%), aparelhos telefônicos, incluindo celulares, (-7,06%) e brinquedos (-0,99%). Por outro lado, o vestuário (+3,79%) e as passagens de ônibus intermunicipais (+6,67%) e aéreas (+32,74%), são os que tiveram inflação mais expressiva. A redução na taxa de juros também contribuiu para uma percepção mais positiva quanto às vendas no fim de ano.
Tecnologia do Blogger.