Sesp divulga programação dos 16 Dias de Ativismo, em defesa da mulher capixaba


A violência contra mulher tem cada vez mais chamado a atenção. Mesmo com os onze anos da Lei Maria da Penha, são recorrentes os casos de crimes cometido contra o sexo feminino, principalmente dentro do ambiente familiar. No mundo, o assunto ganha ainda mais destaque no dia 25 de novembro - Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres -, e no dia 10 de dezembro - Dia Internacional dos Direitos Humanos -, pela proposta dos 16 Dias de Ativismo. A mobilização anual reúne diversos setores públicos e entidades de classe no enfrentamento da violência. 

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) antecipou essa data. Já nesta segunda-feira (20), está fazendo um alerta aos servidores e motoristas que trafegam pela Rodovia do Sol e pela BR-101 sobre o tema deste ano, que é "Não dá para ficar indiferente em casos de violência contra mulher". Somente com o envolvimento de todos é possível mudar a atual realidade. 

Para se ter ideia, de janeiro a setembro deste ano, os Distritos Policiais de Atendimento à Mulher (DPAMs) registraram 3.972 atendimentos a mulheres que sofreram algum tipo de violência doméstica ou familiar. 

Deste montante as ocorrências mais registradas são de ameaça (2.070) e lesão corporal (1.007), totalizando 3.077 atendimentos. 

A gerente de Proteção a Mulher da Sesp, Daniella Figueiredo, chama a atenção para a importância da multiplicação da cultura de paz. Ela destaca ainda que ações da Gerência de Proteção à Mulher (GPM) vão muito mais além que os 16 Dias de Ativismo. 


"É importante ter um período anual em que as ações ganhem destaque, mas o enfrentamento da violência contra a mulher deve ser diário. É preciso mudar comportamentos, acolher as vítimas, entender o problema vivido por elas e oportunizar mudança aos agressores. É o que desejamos alcançar com as nossas ações, como a Patrulha Maria da Penha, que promove visitas a mulheres com medidas protetivas; com o projeto Homem que é Homem, que leva à reflexão sobre soluções alternativas de conflitos e comunicação não violenta para agressores; e com a Casa Abrigo, onde acolhemos, protegemos e trabalhamos juntamente com os centros de referência para construir um recomeço às mulheres em risco iminente de morte. Por isso essa programação surge como um alerta à sociedade, sinalizando a importância de construirmos uma cultura de paz e equidade de gêneros", enfatizou Daniella Figueiredo. 

Programação
20/11
- Aplicação nos letreiros da BR 101 Norte e Sul e ao longo das vias estaduais da Grande Vitória mensagem do Movimento de combate à violência contra a mulher

- Aplicação nos letreiros da 3ª Ponte e do Pedágio em Guarapari e ao longo das vias estaduais, mensagem do Movimento de combate à violência contra a mulher.
24/11
- Apresentação da Banda da PMES
- Terminal de Coqueiral de Itaparica - 17h

27/11 
- Promoção da autoestima e imagem das mulheres em situação de violência

28/11 
- Palestra com o secretário André Garcia e entrega de viaturas destinadas ao programa Patrulha Maria da Penha, que vão atender ao município de Serra. 
Unesc de Serra - 19h30.

29/11 
- Palestras para estagiários do Programa Jovens Valores
Auditório do CIEE – 14h

30/11- Apresentação da Banda da PMES
Terminal de Carapina - 7h30

- Palestras para estagiários do Programa Jovens
Auditório do COEP - 10h e 16h

05/12- Apresentação da Banda da PMES
Terminal de Campo Grande - 18h

06/12- Apresentação da Banda da PMES
Rua Sete de Setembro (Centro de Vitória) - 16h

Tecnologia do Blogger.