Mutirão para alertar sobre os sinais e sintomas da espondiloartrite

Doença reumatológica inflamatória sistêmica acomete especialmente populações com influência de imigrantes europeus. Por não serem comuns,  os sintomas relacionados a enfermidade passam despercebidos por muitos , inclusive profissionais de saúde que desconhecem o problema


A orla de Camburi foi o local escolhido para sediar um mutirão que vai alertar a população sobre a espondiloartrite, um grupo de doenças reumáticas inflamatórias que pode afetar a coluna, juntas, ligamentos e tendões e tende a acometer adolescentes e pessoas antes dos 45 anos de idade comprometendo mais homens do que mulheres. A ação gratuita, comandada por grupo de médicos especialistas da Imunomed (clínica especializada no atendimento a pacientes com doenças inflamatórias e autoimunes) vai acontecer no deste domingo (10), a partir das 8 horas.

Durante todo o dia população poderá interagir com especialistas nas áreas de reumatologia, dermatologia e gastroenterologia, que vão ministrar palestras educativas com duração de 20 minutos cada. Todas estas especialidades estão envolvidas no diagnóstico de tratamento dos indivíduos com espondiloartrite.  “É necessário aumentar a possibilidade do diagnóstico precoce da doença, já que, ainda há um atraso em média de sete anos entre o início dos sintomas e o diagnóstico correto e tratamento”, explica a Dra. Khenia Christina Fernandes Areda. Ela reforça que ações educativas em saúde são necessárias e podem contribuir para diminuir a lacuna de tempo para o encontro do paciente e o médico especialista. “É fundamental informar a população, especialmente no Espírito Santo, onde a incidência da doença pode ser maior devido a grande influência de imigrantes italianos e alemães”, diz a especialista.

Entre os palestrantes confirmados no evento estão a dermatologista Elisabeth Lima M. de A. Barbosa, que vai falar sobre a relação entre o stress e doenças autoimunes e a reumatologista Miriam Kuster Huber, que vai abordar em sua fala como a alimentação pode desencadear uma doença inflamatória como a espondiloartrite.

Uma ação semelhante foi realizada no ano passado em Marechal Floriano, onde foram atendidas 144 pessoas com sintomas da doença em um único dia. “Este índice nos alertou para a necessidade de realizar o evento em outras regiões. Mudamos o formato para atingirmos um público ainda maior”, informa a Dra. Khenia.

Serviço
Palestras direcionadas a população: Espondiloartrite – A inflamação é sistêmica e o cuidado também deve ser! 
Data: 10/12, das 8 às 16 h
Local: Orla de Camburi
Programação:
8 h e 12 h – Entendendo o que significa “reumatismo” e inflamação. Palestrante: Dra. Khenia Christina Fernandes Arena (Reumatologista)
8h30 e 12h30 – Quanto uma dor persistente pode indicar um reumatismo? Sinais de alerta. Palestrante: Dra. Andressa Silva Abreu Pinasco (Reumatologista)
09 h e 13 h – Importância da vitamina D no tratamento da psoríase. Palestrante: Dr. João Basílio Espíndola de Souza (Dermatologista)
09h30 e 14 h – Atividades lúdicas
10h30 e 15 h – Importância da atividade física na prevenção e tratamento das doenças inflamatórias em especial nas espondiloartrites. Palestrante: Dra. Mariana Gomes da Cunha Grubba (Reumatologista)
11 h e 15h30 – O stress como gatilho de doenças autoimunes: Como podemos melhorar nossa qualidade de vida? (Ênfase na psoríase). Palestrante: Dra. Elisabeth Lima M. de A. Barbosa (Dermatologista)
11h30 e 16 h – A alimentação pode desencadear uma doença inflamatória como a espondiloartrite? Palestrante: Dra. Miriam Kuster Huber (Reumatologista)
Não haverá atendimento médico . A ação tem como objetivo fornecer informações científicas para a população sobre o tema.
Informações: (27) 3026-6922
Tecnologia do Blogger.