Header Ads


LEIA APÓS O ANÚNCIO
Sete mulheres artesãs de Alfredo Chaves, no Sul do Estado, contarão com um novo espaço de vendas e de valorização da diversidade cultural, em Vitória, a partir de junho deste ano. Acompanhadas pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), elas participaram de uma visita técnica até a loja.
Trata-se do Grupo Artfibra, que existe há dois anos e é formado por sete mulheres alfredenses, excelentes artesãs, que usam a fibra de bananeira como matéria-prima para os trabalhos artesanais. Elas colhem, tratam e beneficiam a fibra, criam e fabricam as peças com capricho, em um local apropriado. Por lá, elas recebem a visita de clientes, profissionais e dos amigos. Alfredo Chaves conta com uma produção de 42 mil toneladas de banana, em uma área de 2.700 ha. As atividades envolvem 600 famílias, oferecendo alternativas de emprego e rentabilidade para as novas gerações de produtores.
O novo espaço de vendas surgiu em novembro de 2016, em uma parceria entre as Secretarias de Estado de Turismo (Setur) e de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades), o Instituto Panela de Barro, o Shopping Vitória, a Prefeitura de Vitória e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que oportunizaram aos artesãos do Espírito Santo a divulgação e a comercialização de seus produtos por meio da loja “Artesanato Capixaba”.
A articulação entre a Setades e o Artfibra foi realizada pelo Incaper em parceria com a Prefeitura de Alfredo Chaves. “Conversei com as mulheres sobre a oportunidade e assim que elas manifestaram interesse em participar do projeto, fui à Setades para levar a documentação do grupo para a avaliação. O Artfibra foi sorteado para o terceiro grupo, para os meses de junho, julho e agosto deste ano”, contou a economista doméstica e técnica do Incaper Ana Penteado.
Na visita técnica à loja, além de Ana Penteado, participaram as artesãs do Artfibra Amabenir Grassi, que é a coordenadora do grupo, Maria Aparecida Marchezi, Auzília Denadai e a técnica da Setades Fernanda Vescovi. Foram repassadas informações sobre a quantidade de produtos que poderão ser levados para a loja, o mecanismo e os horários para reposição de peças, a retirada de notas fiscais e as orientações mais relevantes quanto ao rol de produtos e à elaboração de etiquetas e embalagens.
Segundo Ana Penteado, a ambientação contribuiu para que as artesãs conhecessem outros trabalhos e avaliassem como vão expor e vender seus produtos. “Estas visitas são muito importantes para incentivar as artesãs, estimular a criação de produtos e para que elas avaliem a necessidade de adequações nas atividades e saibam os preços que estão sendo praticados”, informou.
“Estamos muito confiantes com mais essa oportunidade. O apoio do Incaper tem sido essencial para tocarmos o nosso trabalho, como fonte de incentivo e motivação. Além de abrir novos caminhos, a Ana também nos traz novas ideias de personalização dos produtos e novas inspirações”, relatou Amabenir Grassi.
Incentivo ao Tripé do Turismo Rural
O Incaper fomenta, cada vez mais, as atividades artesanais, com uma agenda intensa de cursos de gestão, de comercialização dos produtos, feiras e visitas técnicas, inspirando mulheres a buscarem novas alternativas de renda e até novos objetos de arte.
Ana Penteado lembrou que o turismo é uma atividade que só cresce em todo o território estadual e tem encontrado no meio rural atrativos que possuem potencialidade para a formatação de produtos turísticos. “Esse cenário é construído por um tripé imprescindível que são o turismo rural, o artesanato e as agroindústrias. Todo turista quer comprar uma lembrança da região, conhecer o contexto local onde  está inserido e comer bem. Temos como premissa estimular e incentivar esses três pontos importantes para o Espírito Santo”, pontuou.

Espaço em Vitória
A loja "Artesanato Capixaba" foi inaugurada em 09 de dezembro de 2016. O espaço fica no segundo piso do Shopping Vitória, próximo à loja Arezzo. Além das peças de artesanato, há no local um balcão de atendimento para informações turísticas.
Ao todo serão disponibilizadas 128 oportunidades, buscando o rodízio (a cada três meses) e a diversidade das peças em exposição.
Segundo informações da Setades, ainda este ano existe a possibilidade de uma nova seleção para os artesãos que não tiveram tempo hábil de se inscrever. Mais informações: http://setades.es.gov.br/.
Conheça o grupo ArtFribra: https://www.facebook.com/Artifibra/
Tecnologia do Blogger.