Header Ads





Leia após a publicidade

Cantor lança novo single chamado " Vai ver o Sol Nascer"


Sucesso dos anos 2000, o cantor que carregou multidões  de fãs em seus shows, cedeu entrevista exclusiva para o portal O Giro ES 24 Horas e falou  sobre carreira, sucesso, projetos e ainda esclareceu  se “ ficou” ou não com a também cantora, Wanessa Camargo



Quem era adolescente no início dos anos 2000 com certeza  se lembra dos hits “  Deixa Disso”, “Musa do Verão” interpretados por um jovem cantor, na época com 15 anos, e com forte sotaque carioca, chamado Felipe Dylon.


Filho de  um surfista e uma bailarina e atriz, o cantor  aos 10 anos, já tinha sua própria banda  formada com amigos da escola, chamada “ Na Boa”. Aos 12 anos já partiu para carreira solo.



Em 2003, Felipe assinou contrato com uma das maiores gravadoras,  EMI Music para lançamento de seu primeiro álbum, o homônimo “ Felipe Dylon”, de onde saíram os singles de grande sucesso  “ Deixa Disso” e “Musa do Verão”, vendendo mais de 100 mil cópias do álbum.



Felipe ainda lançou mais dois álbuns e um dvd intitulado, “ Felipe Dylon- Nas Internas” . No ano de 2006 Dylon, decidiu dar uma pausa na carreira de cantor para dedicar a trabalhos como apresentador e ator, participando do seriado “ A diarista”, da Rede Globo. No mesmo ano, apresentou o programa Top Top MTV e um ano depois, participou do especial "Família MTV".


1º DVD do cantor intitulado " Nas internas"



O músico ainda participou do filme “ A guerra dos Rocha” , onde interpretou Bilinho e como se não bastasse, Felipe ainda foi padrinho da campanha Nacional, Mc Dia Feliz ( Campanha realizada pela fast-food McDonalds no Brasil, onde um dia do ano é reservado para que as vendas do sanduíche Big Mac seja revertido para instituição que visa atender crianças portadoras de câncer).


Com um curriculum desses, difícil não respeitar o cantor não é ? E o que será que o cantor esta aprontando? Por onde anda Felipe Dylon?


O músico cedeu uma entrevista exclusiva para o nosso portal e falou de seu novo projeto, da importância que ele teve na vida de milhares de adolescentes que o acompanharam  e ainda o acompanham sua carreira, falou do tempo que ficou ausente da mídia e revelou se ficou ou não com a cantora Wanessa Camargo, na época solteira.



Acompanhe a entrevista:



0       O Giro ES 24 Horas:  Quando sai seu novo álbum?

Felipe Dylon:  Na verdade, não estamos preparando um novo álbum, e sim gravando singles, o processo de gravação de um CD, demora quase um ano para ficar pronto, desta maneira como estamos fazendo, gravamos as canções, a partir do momento que estão ficando prontas, já estamos disponibilizando ao público, tem dado bem certo, gravamos Ligação Astral, Meu verdadeiro Amor (com a equipe do Yahoo) e o mais recente que fizemos foi Vai Ver o Sol Nascer, com produção do Marcelo Sussekind, com quem já tinha trabalhado em 2006 no meu terceiro CD Em outra direção e nesta faixa tivemos a participação do Michael Sembello.

0     O Giro ES 24 Horas:  Quantos singles terão no total? E de onde surgiu a ideia de regravar a canção “Vai ver o sol nascer” ?

Felipe Dylon: Estamos nos divertindo muito  ao fazer, tem estas que eu  falei e pretendemos gravar mais algumas. A ideia de ter regravado “Vai Ver o Sol Nascer” com uma nova pegada, que é uma canção de minha autoria, deste meu terceiro CD, veio por que a base, a melodia, a letra  e a sonoridade  são especiais, pretendemos fazer isso com outras canções deste CD, é uma forma de você inovar, dando um capricho aqui e ali. Realmente, fica muito bom e a música não sei, parece que cresce. Canção com uma nova roupagem realmente parece que fica melhor. Nessa música criei uma letra e uma nova melodia para a parte C da canção, a pedido do Marcelo, compus ali na hora da gravação, estávamos inspirados. O Marcelo mexeu na forma da música, fez um novo arranjo, colocou novos instrumentos, achamos sensacional o novo resultado!

   O Giro ES 24 Horas :  Esse novo trabalho, que com certeza vem mais maduro, agora que você  já esta mais experiente, com 30 anos, terá que batida? Quais referências você buscou para desenvolver esse projeto?

Felipe Dylon -Olha não queremos mudar o estilo musical que é o pop rock romântico, mas temos sim a cada canção que estamos fazendo, incorporado um estilo mais soul às músicas, sem desvirtuar muito, mas pensar, numa levada nova, numa sonoridade, que tenha como o som engrandecer, temos conseguido obter esse retorno e agora é trabalhar muito bem, as futuras canções, incrementá-las, de forma que elas fiquem realmente boas  e que tenhamos o tão esperado sucesso e retorno.

 O Giro ES 24 Horas : Você balançou o coração de muitas adolescentes no auge da sua carreira.  E  essas meninas  admiravam e ainda admiram  seu trabalho. Você consegue ter noção de como foi importante na vida delas?( hoje, algumas dessas meninas já são até mães) que na época viviam uma "fantasia" de príncipe e princesa, através de suas músicas?

 Felipe Dylon :  Olha realmente na época que começamos, tudo era novo, novidade, portanto, a gente tinha que atender aquela demanda, a nível de trabalhos e realizar principalmente bem os eventos. Fico feliz de ter sido esse símbolo para tantas pessoas e fico feliz que consegui alcançar o sucesso tão esperado, tenho certeza que esses mesmos fãs hoje mais velhos, tem ainda como ter acesso, a um conteúdo bem legal, depois de 13 anos de carreira. Sempre nos meus shows recebo este carinho do público desde meu começo e também da galera mais jovem que está chegando agora.

  O Giro ES 24 Horas:  Ainda falando do público feminino, houve algum episódio engraçado que aconteceu com fã? Algo que seja bem "anormal"?

Felipe Dylon: Teve, uma vez eu estava fazendo um show aqui no Canecão no Rio de janeiro, e assim que terminou o show me despedi da minha equipe, da banda, estava saindo do evento, e vi que tinha uma menina deitada numa maca, pois ela tinha passado mal durante o show, na hora que eu passei em frente da ambulância, ela levantou na mesma hora, veio correndo e me abraçou, nossa foi muito surreal esta cena. Foi engraçado demais, na verdade, ela viu que todo mundo que passava mal o segurança, tirava da frente da grade e trazia para o palco e encaminhava para a ambulância, ai eu acho que ela pensou, é a minha chance de ir para os bastidores, rsrsrsrs. Foi criativa!

 O Giro ES 24  Horas:  Na época do auge de sua carreira, você tinha toda uma equipe que era  muito querida por seus fãs hoje em dia você ainda esta trabalhando com os mesmos músicos? ainda mantem contato com alguns? cite um  nome.

Felipe Dylon:  Na verdade, até estamos, algumas reformulações somente, o guitarrista que sempre tocou comigo Márcio Carvalho, hoje ainda tem feito umas produções, recriou a canção, Corpo Nú (Mc Vinicius e Andinho) que é um grande sucesso nos meus shows até hoje. Temos sim uma equipe e uma banda fenomenal, alguns músicos mudaram, atualmente temos tocado com Rafa Durand (Bateria), Fernando Monteiro (Guitarra), Jonhy Lotti (Baixo).
...Continuo na estrada, aproveitando minha vida.....
Galera, sempre saindo realizada dos shows e eventos que temos feito, vejo, que esse retorno também se dá muito do boca a boca, da galera curtindo, das mídias sociais, dos lives, desta energia! Sem dúvida temos feito, cada vez mais, um trabalho honesto e desde sempre focados na nova etapa.

   O Giro ES 24 Horas:  Você participou de um quadro no programa "Caldeirão do Hulk", chamado " Quebrando a Rotina junto com Wanessa Camargo, e na época vocês dois eram solteiros. Começaram a surgir muitos boatos de que vocês estavam " ficando", mas a verdade é : rolou algo entre vocês ou não passou de informações inverídicas?

Felipe Dylon: Foram boatos, a gente tem o maior carinho um pelo outro, me amarro no som dela, a Wanessa, realmente é uma grande artista e até nessa viagem do Quebrando a Rotina, compusemos, a canção Amor de Praia. Sempre tive um apoio muito legal da galera do Caldeirão, o Luciano Hulk é um grande parceiro.
Vejo que estamos realmente no caminho certo e realmente prontos, para os próximos passos.

   O Giro ES 24 Horas: Porque ficou distante da música, da mídia durante todo esse tempo?

Felipe Dylon:  Na verdade, estava gravando meu quarto CD, O Que Faltava em Mim, e fiquei quase um ano dentro de estúdio realizando esse disco e foi bem intenso, nesse período fiz alguns shows maravilhosos pelo interior do Brasil.  Viajei para Los Angeles para estudar canto com o Matt, mesmo professor do Bom Jovi, foi incrível!
Fiquei um pouco distante da mídia, mas nunca distante da música, todos os dias toco violão, canto, é algo que faz parte da minha essência.
De lá pra cá, muitos shows, muito trabalho, muita coisa legal, mas agora é pensar nos passos futuros, em como teremos esse retorno, numa fase onde o mercado passa por dificuldades, mas ter foco e determinação para se superar.


História de Fã

Inê Puppim tinha 15 anos quando começou a ouvir as músicas de Felipe Dylon e a colecionar pôsteres. A fã que hoje possui a mesma idade que o cantor, continua acompanhando o trabalho do artista e guarda com muito carinho o cd que o próprio músico autografou.
" Eu já madruguei em frente a um hotel onde o Felipe se hospedou quando fez um show em Vitória-ES.Fiquei por lá muito tempo esperando ele,mas no final conseguir minha foto e meu cd autografado além de ter participado com ele do " Família MTV" (Programa que era veiculado na MTV)", contou Inê.

Inê guarda com muito carinho a lembrança que tem do ídolo quando teve a oportunidade de conhecê-lo

O cantor  ainda deixou um recadinho para os fãs que acompanham nosso portal e agradeceu  o carinho, acompanhe no vídeo abaixo:




Para quem deseja saber mais da carreira do cantor basta acessar os endereços abaixo:

instagran Felipe Dylon  Twitter: @felipedylon
Contato para shows e parcerias:
(021)22878540, e (021)970291765















Tecnologia do Blogger.