Leia após a publicidade


Banhistas que procuram as praias de Vitória podem aproveitar o litoral com mais segurança. É que além da medição semanal da balneabilidade nas praias de Vitória, o município passará a utilizar uma metodologia para avaliação anual das condições da água do mar. Serão analisados pontos específicos com percentuais de tempo em que os mesmos ficaram próprios para banho no decorrer do ano.
O primeiro diagnóstico aponta que as principais praias de Vitória esteve própria para banho quase o ano inteiro de 2017. A média da frequência relativa de classificação "própria para banho" foi de 86,8% das medições realizadas no ano passado nas praias de Camburi, Curva da Jurema, as três praias da Ilha do Frade (da Castanheira, Ilha do Frade e a 1ª praia à direita) e praias da Direita e Grande (ambas na Ilha do Boi).
A nota técnica foi solicitada pela Secretaria de Gestão, Planejamento e Comunicação (Seges) para técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos (Semmam). A metodologia é semelhante a utilizada pela Agência Ambiental da União Europeia.
O prefeito de Vitória, Luciano Rezende, destacou que o diagnóstico levará tranquilidade e informação para os banhistas.
"Esse número é extremamente importante porque já é resultado do grande trabalho que nós fizemos na primeira gestão diminuindo as emissões de esgoto nas praias de Vitória. Quando assumimos o governo, em 2013, existia um esgoto a céu aberto na Praia de Camburi, em Jardim Camburi, e em outras praias. Tinha uma emissão  também na ponte da Ilha do Frade, perto do Iate Clube, e em 2014, nós mudamos a lei aumentando o valor da multa pra quem não ligava esgoto na rede. Isso fez com que as pessoas ligassem na rede e nós fizemos mais de sete mil ligações e deixamos de jogar entre 8 e 9 milhões de litros de esgoto por dia in natura nas praias. O resultado é que a balneabilidade melhorou e nós temos hoje um número muito importante e temos que melhorar ainda mais. Nossa proposta é que as emissões de esgoto in natura parem de acontecer nas praias e manguezais e nos bueiros da cidade de Vitória”, disse o prefeito Luciano Rezende.
E concluiu: “Por isso que nós temos atuado de forma muito firme junto à Cesan para que ela resolva esse problema, já que o morador da cidade paga caro por taxa de esgoto e merece ter a balneabilidade cada vez melhor. Os números já são bons. Isso nos garante um movimento turístico com segurança e com as famílias que moram na cidade. Mas queremos melhorar ainda mais”, completou Luciano.

Indicador de sustentabilidade

O secretário de Gestão, Planejamento e Comunicação, Fabrício Gandini, explica que, com essa metodologia, a balneabilidade passa a servir como indicador de sustentabilidade. “Constatamos que Vitória deixou de jogar entre 8 e 9 milhões de litros de esgoto na baía e, com isso, consegue ter resultados positivos, como pontos na praia de Camburi que chegam até 96% de qualidade durante todo o ano".
“Vamos fazer esse acompanhamento anualmente como uma forma de dar transparência e também com a intenção de estabelecermos metas para a diminuição de pontos impróprios para banho durante o ano", acrescentou Gandini.

Dados

A média da frequência relativa de classificação "própria para banho" na Praia de Camburi foi de 82,2% em 9 de seus 10 pontos. O estudo excluiu o ponto 9 (Canal da Passagem), pois por precaução já é colocado como ponto interditado durante todo o ano.
Já a média da Praia da Curva da Jurema é de 85,5%. As três praias da Ilha do Frade marcou a média de 91% do tempo anual enquanto próprias para banho.
Já as as praias da Ilha do Boi com a média de 88,5%, com destaque para a Praia Grande, que mantem-se própria para o banho durante 96,2% do tempo durante o ano.

Alteração

A mudança das classificações acontece por diversos motivos, como estiagem prolongada, chuvas e condições da maré.
"Chuvas sempre acabam ocasionando mudanças negativas em alguns pontos de nossas praias. Balneabilidade é um desafio metropolitano, afinal Vitória sofre influência dos outros municípios quando o assunto é qualidade da água do mar", destacou o secretário de Meio Ambiente e Serviços Urbanos, Luiz Emanuel Zouain.

Classificação

A classificação da balneabilidade é a indicação da qualidade das águas destinadas à recreação de contato direto e prolongado, como natação, mergulho e lazer. É realizada semanalmente, por meio da coleta de amostras de águas em 26 pontos da capital e análise laboratorial para a avaliação do indicador coliformes termotolerantes.

Como é feita a análise

A avaliação das condições de banho nas praias de Vitória é realizada com base na resolução 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). O coliforme termotolerante é um indicador bacteriológico para avaliar a qualidade das águas.
Esse microorganismo é encontrado em fezes humanas e de outros animais de sangue quente, estando presente em solos e, principalmente, em efluentes domésticos (esgoto). A quantificação dessa bactéria em amostras de água permite avaliar a qualidade da praia para banho, classificando-a em própria (excelente, muito boa e satisfatória) e imprópria. Ainda, trechos com histórico de má qualidade das águas, ou que tenha ocorrido algum acidente ou evento que possa agir diretamente sobre saúde humana são interditados para banho.
Elevada concentração de coliforme termotolerante está, diretamente, relacionada com a contaminação da água por esgoto, sendo alta a possibilidade da presença de organismos patogênicos que podem ocasionar inúmeras doenças.

Tecnologia do Blogger.