Leia após a publicidade

Cirurgião plástico esclarece as principais dúvidas sobre o assunto


O Brasil é o segundo país que mais realiza cirurgia plástica no mundo, de acordo com pesquisa da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica. A lipoaspiração e o implante de silicone nos seios são os procedimentos mais populares e que já caíram no gosto dos brasileiros. Apesar da crescente popularização, muitos mitos a respeito do assunto ainda deixam dúvidas na cabeça de quem pensa em submeter a uma cirurgia do tipo. O cirurgião plástico Ariosto Santos esclarece alguns dos pontos mais polêmicos.

A prótese de silicone precisa ser trocada a cada 10 anos

Mito: essa ideia nasceu com as primeiras próteses de mama, criadas na década de 80. Elas eram feitas com superfície lisa e silicone líquido, que levava a um número maior de complicação e distorções da prótese. Os modelos de hoje evoluíram e esse prazo 10 anos para a troca já não existe mais. Alguns fabricantes dão um prazo de 20 anos e outros tempo indeterminado. O acompanhamento médico é a melhor forma de avaliar a necessidade de troca.

Mulheres que acabaram de ter filhos não podem fazer cirurgia plástica

Verdade: após a gestação o corpo da mulher passa por um período de transição, ainda cheio dos hormônios da gravidez. O ideal é que se aguarde nove meses a um ano para se submeter a uma cirurgia plástica após a gestação.

Lipoaspiração é recomendada para emagrecer

Mito: a lipoaspiração é um procedimento que retira gordura localizada e serve para modelar o contorno corporal, mas interfere muito pouco no peso do paciente. Para ter  um resultado mais satisfatório, inclusive, algumas vezes é preciso emagrecer antes de submeter à cirurgia.

É possível realizar mais de um procedimento em uma mesma cirurgia              

Verdade: é, inclusive, comum realizar uma lipoaspiração e o implante de silicone mamário, por exemplo em um único tempo cirúrgico. As grandes combinações, no entanto, devem ser evitadas por prolongar demais o tempo de cirurgia, o que aumenta o risco de complicações.

Silicone no seio atrapalha a amamentação

Mito: as próteses de silicone mamárias ficam alojadas atrás da glândula mamária e, se colocadas corretamente, nada interferem na amamentação. No caso de mulheres que fizeram mamoplastia de redução, aí sim pode ocorrer uma interferência, pois haverá uma diminuição glandular com a possibilidade de causar a redução do volume lácteo, o que na verdade não tem relação com prótese de silicone.

O resultado da cirurgia plástica só é visto após seis meses no mínimo

Verdade: os resultados da cirurgia plástica costumam ir aparecendo as poucos, mas é com seis meses ou mais que se espera a regressão total do edema e inchaço, para que se tenha uma noção mais precisa do resultado.
Tecnologia do Blogger.