Leia após a publicidade

O primeiro passo é escolher bem o destino e depois consultar um médico para avaliar as condições do idoso. Essas dicas são da enfermeira especializada em Terapia Intensiva para Adulto Larissa de Oliveira, da Jequitibá Residência Assistida

O Carnaval chegou e com ele muitas pessoas aproveitam para programar uma viagem com a família toda, inclusive com a presença dos avós. Porém, antes de aventurar-se pelo mundo, é preciso ter em mente que os idosos requerem cuidados especiais. “Escolher hotéis que ofereçam acessibilidade, por exemplo, é um requisito indispensável para satisfazer a necessidade dessa faixa etária e garantir uma experiência agradável para todos”, aconselha a enfermeira especializada em Terapia Intensiva para Adulto da Jequitibá Residência Assistida, Larissa de Oliveira. Abaixo a profissional ainda elencou outras dicas para ajudar nesse planejamento. Confira:
Escolha bem o destino
Ao escolher o lugar para passar dias tranquilos com o seu familiar idoso, o primeiro item a ser observado deve ser a acessibilidade dos ambientes que se deseja conhecer, incluindo a dos pontos turísticos e do hotel, caso ele tenha alguma dificuldade de locomoção. É importante observar se a estada dispõe de escadas, banheiros adaptados com barras de apoio e equipe treinada para atender as demandas. Observe se há facilidade em encontrar restaurantes e farmácias.

As horas de espera em aeroportos, longas viagens de carro, baldeações em terminais rodoviários e oscilações em navios também devem ser avaliados. Se a viagem for de carro, a dica é parar a cada três horas para caminhar um pouco e fazer um lanche. Uma opção para viagens muito longas é incluir no roteiro paradas à noite para jantar, dormir e tomar um bom café da manhã para então voltar a seguir viagem.

O clima do destino é também um ponto de atenção, já que as pessoas idosas são os que mais sofrem com altas e baixas temperaturas.

Visite o médico
Uma viagem pode expor os idosos a diferentes riscos, por isso é importante visitar um médico assim que o roteiro for escolhido. Esse profissional poderá orientar sobre os cuidados a tomar, receitar eventuais medicações e indicar os melhores hospitais em seu destino. Se o idoso faz o uso de medicamentos de uso contínuo, o ideal é levar uma quantidade suficiente para todos os dias da viagem juntamente com a receita médica.

Atualize a carteira de vacinação e consulte sobre quais vacinas se deve tomar antes de viajar. Há destinos que exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) logo na chegada. Essa imunização ajuda na prevenção de doenças infecciosas. Faça também um seguro saúde ou pesquise se o plano de saúde oferece assistência no local a ser visitado.

Faça um cartão ou uma pulseira de identificação
Idosos não voltam a ser crianças, mas alguns podem apresentar quadros demenciais que afetam a memória e cognição. Se esse for o caso, faça um cartão com nome, endereço e telefone para contato e coloque no bolso, em pulseiras ou cordões para facilitar a identificação dele, caso ele se perca do grupo. Em lugares movimentados, vale também vesti-lo com roupas coloridas, caso ele goste, para facilitar a identificação.

Fique atento com a hidratação e a alimentação
Essa dica serve para antes, durante e depois da viagem. Os idosos são mais sensíveis e por isso é sempre importante mantê-los hidratados, independentemente da temperatura. Tenha uma garrafa de água a mão e ofereça a constantemente. Ter uma alimentação rica em fibras, vitaminas e sais minerais também é importante.

Esquematize um roteiro
Faça um roteiro juntamente com o companheiro de viagem vintage priorizando visitar vários lugares próximos no mesmo dia, e evitando passar muito tempo dentro de um meio de transporte. E não deixe de incluir na programação momentos de descanso.

Tome a melhor decisão
Não deixe de ouvir o que o seu parente idoso prefere fazer: viajar ou ficar em casa. Incentive-o a passear, mas não o force, pois na tentativa de agradar a vontade dele pode ser desrespeitada. Se ele preferir não ir, procure outro familiar que possa assumir os cuidados ou supervisioná-lo de vez em quando, conforme a necessidade, ou procure uma casa especializada no cuidado com idosos para uma hospedagem temporária.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.