Leia após a publicidade

Economista Sandra Aragão dá dicas para quem busca segurança financeira

Pesquisa do Indicador de Reserva Financeira apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aponta que 71% dos brasileiros não pouparam dinheiro no último mês de janeiro. Já levantamento do Banco Central revela que 69% dos brasileiros não pouparam dinheiro no último ano. Na avaliação da economista Sandra Aragão estes números são alarmantes, pois mostra que poupar - ação extremamente necessária, especialmente diante da recessão econômica que o país ainda atravessa - é uma prática rara para uma parcela muito alta da população.
A especialista defende que o ideal é guardar 15% da renda e que, depois que o hábito de poupar estiver estabelecido, será automática a rotina de destinar sempre um valor para a reserva financeira. “Conferir o valor acumulado sempre será um estímulo para guardar mais”, diz. Outra estratégia sugerida pela economista Sandra Aragão para que se tenha sucesso em guardar dinheiro é estabelecer metas, seja para a compra de algum objeto de desejo, uma viagem em família ou simplesmente para sempre ter um valor à disposição.
Segundo ela, quem costuma utilizar o limite do cartão de crédito, pagar boletos com atraso ou gastar mais do que recebe deve mudar imediatamente os seus hábitos financeiros. “O valor gasto para pagar os juros poderiam ir para uma poupança”, esclarece. Outra dica da economista é evitar compras desnecessárias, já que o valor gasto com estes itens de consumo poderia ser melhor empregado. “Planejamento, organização e mudança de comportamentos são atores fundamentais para quem busca pela tão sonhada segurança financeira”, garante Sandra Aragão.
A pesquisa do SPC Brasil mostra ainda que o percentual de poupadores entre mulheres é de 16%, ao passo que entre os homens atinge 22% dessa população.

Educação financeira
A economista Sandra Aragão defende que para mudar a realidade apontada pelas pesquisas, é necessário estimular a consciência financeira nas crianças. “As crianças podem – e devem aprender com exemplos do dia a dia noções de educação financeira, na rotina do relacionamento com os pais. São ensinamentos que serão levado para toda a vida. “É importante ensinar valores como responsabilidade e planejamento, para que eles sejam adultos conscientes economicamente”, esclarece.

Uma boa tática, segundo a especialista, é ensinar educação financeira de forma criativa. “O estímulo pode ser através de jogos, do já conhecido cofre de economias ou até em uma ida ao supermercado para que estas crianças aprendam a usar o dinheiro de forma racional”, orienta Sandra Aragão.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.