Leia após a publicidade

Depois das novidades da gravidez, como as consultas de rotina, os ultrassons, as emoções de cada mês de gestação, é comum que a preocupação seja com o parto. Foi pensando em deixar as mamães mais calmas que a enfermeira obstetra da Maternidade Unimed Vitória, Fabiane Morozini, respondeu às principais dúvidas das grávidas a respeito do nascimento do bebê.

• Quais os tipos de parto que existem?

Existem dois tipos de partos, o parto vaginal e a cesárea.

• Posições assumidas pelas mulheres têm influência no tempo do trabalho de parto?

Sim. O trabalho de parto deve ter como prioridade o respeito ao desejo da gestante, em que ela escolhe a posição que ela prefere e sente melhor para ganhar o seu bebê. Porém orientamos e informamos que a posição vertical facilita a descida do bebê, mas cada mulher escolhe a posição que deseja parir.

• Se exercitar, como dançar, por exemplo, ou fazer exercícios na bola de pilates, ajuda o bebê a nascer?

Está comprovado cientificamente o quanto o exercício físico auxilia o trabalho de parto. Na Maternidade Unimed Vitória nós orientamos que, caso não haja restrição médica, esses exercícios devem ser iniciados durante a gestação e, se possível, antes dela. Durante o trabalho de parto, a gestante fica livre para se exercitar e auxiliamos quanto ao uso da bola, agachamentos e andar livremente na Maternidade.

• Quais os benefícios do parto normal quando comparado à cesárea?

São inúmeros, mas entre esses tantos benefícios do parto vaginal podemos citar alguns como: recuperação mais rápida, menor risco de doença respiratória que geralmente leva o bebê para Unidade Intensiva Neonatal (UTIN), menor dor pós-parto, menor risco do bebê nascer prematuro, favorecimento na produção do leite materno, laços sentimentais entre mãe e bebê ocorrem mais facilmente, o útero volta mais rápido para o tamanho normal, só para citar alguns.

• Quais os riscos da cesariana?

Não podemos esquecer que a cesárea é uma cirurgia, por isso, como qualquer cirurgia, existe os riscos como, por exemplo, de infecção. Em relação a cesariana é importante destacar que, mesmo que haja uma escolha da mulher para este tipo de parto, é necessário que o corpo dê sinais que esse bebê quer nascer (trabalho de parto).

• E a anestesia? Quando ela é usada fora de uma cesariana?

Mesmo no parto vaginal é possível ser realizada a analgesia de parto. Ajuda no alívio da dor, mas não interrompe o trabalho de parto. A gestante poderá solicitar quando desejar, e onde será administrada após a avaliação do obstetra e anestesista.

• O termo recepção humanizada do recém-nascido, o que quer dizer?

A recepção humanizada do recém-nascido nada mais é que a continuidade de toda a humanização do parto, que se inicia desde o acolhimento dessa gestante na recepção da Maternidade, durante todo o trabalho de parto, em que é respeitado a presença do acompanhante da sua escolha, a prática dos métodos do alívio de dor (deambulação livre, massagem, banho de ducha, exercício na bola, entre outros) e o apoio do profissional de saúde. Quando o recém-nascido chega ele é colocado no colo da mãe, em contato pele-a pele, gostamos de chamar de “coração com coração”, o clampeamento tardio do cordão é realizado, a amamentação precoce na sala de parto, entre outros são ser respeitados, completando toda a parte da humanização do nascimento.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.