Leia após a publicidade

“Neste mês de junho é comemorado o dia nacional de combate a cefaleia, um tipo de dor de cabeça decorrente de outras infecções e doenças” 


“Silêncio, por favor, minha cabeça está doendo”. Provavelmente, em alguma situação, você já proferiu ou escutou a frase citada no início desta matéria. Isso porque, a dor de cabeça é um mal que atinge mais de 90% da população. E com os capixabas não é diferente. No entanto, o que poucas pessoas sabem é que, as pontadas e zumbidos podem ter origem em qualquer parte do corpo, como por exemplo, no sorriso.

Um problema no dente é suficiente para ocasionar esse, e ainda outros incômodos. É o que afirma o cirurgião dentista Marcelo Nobre. “A má saúde bucal pode prejudicar o nosso organismo de diversas formas, desde a dor de cabeça até complicações cardíacas. Por isso, gosto sempre de lembrar que o cuidado com a boca é coisa séria”, e acrescenta “vai além da estética e beleza. Estamos falando de saúde e bem-estar”, disse.

De acordo com ele, dentes maus posicionados ou a ausência de dentes podem provocar movimentos parafuncionais, como o bruxismo e briquismo, e consequentemente levar a pessoa ao quadro de cefaleia. “O bruxismo é um distúrbio do sono, quando o paciente atinge o sono profundo, ele apresenta o ato involuntário de ranger ou apertar os dentes. Já o briquismo é o mesmo problema, porém, é feito com a pessoa acordada e consciente”, explica.

Em ambos os casos, o indivíduo vai apresentar desgastes dentários, inflamações de fibras musculares e crônica dos músculos mastigatórios. “Tudo isso vai provocar a cefaleia tensional, que é o tipo mais comum de dor de cabeça, mas que causa um grande incômodo. O principal sintoma relatado pelos pacientes é uma dor difusa, de leve a moderada, como se algo estivesse pressionando o crânio”.

Segundo Nobre, diante desse cenário, o paciente deve receber um atendimento multidisciplinar, ou seja, em parceria com profissionais da medicina e odontologia. Afinal, as causas das dores de cabeça são múltiplas, e podem ir além da face. “É importante que o dentista especializado em dor orofacial tenha conhecimento dos diversos tipos de cefaleia para chegar ao diagnóstico”, finaliza. Dessa forma, ele poderá indicar o melhor tratamento.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.