Leia após a publicidade

Depois da entrega da Usina São Manoel, Companhia prepara antecipação de obras de Transmissão. Cerca de 50% da construção do primeiro projeto já estão concluídos


A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro, registrou Lucro Líquido de R$ 441,8 milhões no primeiro semestre de 2018, um aumento de 59,6% na comparação com os mesmos meses do ano passado. O EBITDA (lucro antes de taxas, impostos, depreciação e amortização) da Companhia teve alta de 15,6% no período, passando de R$ 1,073 bilhão em 2017 para R$ 1,241 bilhão neste ano.
O crescimento é resultado da consistência operacional e financeira da EDP em todas as suas áreas. Em Distribuição, merecem destaque o aumento do volume de energia distribuída e a redução das perdas. Na comercialização e na Geração, a estratégia assertiva de trabalho para a mitigação do risco hidrológico permitiu melhorias e ganhos em ambos os negócios.
Consolidando sua atuação no mercado de Transmissão, a Empresa se mantém focada na execução dos cinco empreendimentos adquiridos nos últimos dois anos. No primeiro semestre, concluiu 48% da construção da Linha do Espírito Santo. Com isso, a previsão é que a entrega do empreendimento seja adiantada em 17 meses em relação ao cronograma regulatório. A Companhia também já está com as licenças prévias requeridas dos lotes de Santa Catarina, Maranhão e Minas Gerais/São Paulo, sinal favorável para a antecipação das obras.
“A primeira metade de 2018 foi marcada por avanços importantes em todos os objetivos da EDP. Além dos resultados consistentes, a Empresa continua assegurando a marca de excelência na execução de suas obras”, avalia Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

Resultados crescentes

Os resultados crescentes apresentados pela EDP de janeiro a junho deste ano tiveram como base as melhorias operacionais apresentadas em cada um dos segmentos da Companhia, com destaque para a Distribuição e a Geração Termelétrica.
As Distribuidoras do Grupo em São Paulo e no Espírito Santo registraram alta de 10,4% no EBITDA do primeiro semestre frente ao mesmo período de 2017, para R$ 426 milhões. O aumento é decorrente da elevação de 3,2% no volume de energia distribuída no segundo trimestre e pela redução de perdas nas concessionárias, além do efeito dos reajustes tarifários do ano passado.
No caso da Usina Termelétrica Pecém I, o destaque vai para a eficiência operacional. Em junho, a disponibilidade média da UTE ficou em 97,6%, a melhor da história. Em Comercialização, o volume 22,1% maior de energia vendida no primeiro semestre deste ano ante 2017 ajudou a trazer resultados positivos para a Empresa. Um dos destaques da área, no semestre, foi a assinatura de um contrato de R$ 86 milhões com o Banco do Brasil. Com entrada em vigor a partir de 2019, trata-se do maior negócio já fechado no País para a migração ao mercado livre de energia na modalidade varejista.

Compromisso com investimentos

Em linha com o seu compromisso de investir R$ 1,4 bilhão neste ano, a EDP encerrou o primeiro semestre com aportes acumulados de R$ 685 milhões. Até abril, R$ 298 milhões foram direcionados à compra de 19,62% de participação na Celesc. Outros R$ 251,6 milhões foram destinados a melhorias nas redes de Distribuição em São Paulo e no Espírito Santo. A maior parte dos recursos foi utilizada para a instalação de sistemas de medição, expansão das linhas, ligação de novos clientes e para a substituição de equipamentos, além do programa de combate às perdas.
Em Geração, foram investidos outros R$ 85,3 milhões, sobretudo para a conclusão das obras da UHE São Manoel. Na área de Transmissão, os aportes somaram R$ 50,6 milhões, com destaque para os recursos direcionados ao início dos estudos territoriais e projetos de engenharia dos lotes adquiridos pela Empresa.
Mantendo sua estratégia de buscar a liderança em inovação, a EDP Brasil lançou em maio a EDP Ventures Brasil, o primeiro veículo de investimento de capital de risco do setor elétrico brasileiro, com previsão de aportes iniciais de R$ 30 milhões em startups com negócios focados em soluções para o mercado de energia. A Companhia também inaugurou na Rodovia Presidente Dutra, em julho, em parceria com o BMW Group, o maior corredor para abastecimento de carros elétricos da América Latina, interligando as duas cidades mais populosas do País –Rio e São Paulo. São investimentos que posicionam a EDP na vanguarda das principais tendências do setor elétrico e apontam o caminho do seu crescimento nos próximos anos.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.