Header Ads


LEIA APÓS O ANÚNCIO
A ansiedade é vital para o ser humano, mas quando começa a atrapalhar a rotina deve ser tratada com ajuda de um profissional

O Brasil é campeão mundial no índice de ansiedade, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Por aqui, 9,3% da população manifesta sintomas da patologia e o sexo feminino é o que mais sente as consequências — 7,7% das mulheres são ansiosas. Quando se trata dos homens, a porcentagem cai para 3,6%.
Os traços da doença podem aparecer em qualquer fase da vida e quem sofre com a ansiedade sabe como é difícil realizar tarefas simples.
Diante de situações como uma entrevista de emprego, quando estamos aguardando um resultado importante ou em momentos que antecedem uma prova, é normal que fiquemos ansiosos. “Nessas circunstâncias, a ansiedade se manifesta como um alerta que nos prepara para um novo desafio e favorece a adaptação. É extremamente necessária para que a gente sobreviva porque ela liga em nosso corpo alguns sinais, como por exemplo o alerta”, conta a psicóloga da Medconsulta Beatriz Rocha.
Quando a sensação de ansiedade torna-se parte da rotina e a sensação deixa de ser uma emoção e passa a ser um transtorno, é preciso tratar. Pessoas que têm preocupação excessiva, dificuldades para dormir, pânico ou medo com frequência devem investigar o problema.
“Costumo resgatar o paciente para o momento presente, mostrar que não há possibilidade de intervir no passado e no futuro. É necessário viver o agora, resolver cada problema de uma vez e não gastar o tempo e preocupação com aquilo que ainda não existe”.

Confira a entrevista que fizemos com a psicóloga sobre o tema:

1)    A ansiedade pode afetar adultos e crianças. Existe alguma diferença em como o problema aparece nas diferentes fases da vida?
O transtorno se manifesta de maneira singular em cada pessoa, entretanto existem algumas características que podem ser observadas na maior parte das pessoas que a possuem.
Assim, a gente pode dizer que as características são similares, mas que cada fase possui um contexto peculiar e a ansiedade pode ser evidenciada de maneiras e sintomas diferentes.
Por exemplo, em um adulto a questão do medo pode resultar em isolamento social. No caso da criança, ela pode voltar a fazer xixi na cama.

2)    Como percebe-se que está ansioso?
A ansiedade pode ser observada em diversos graus, com vários sintomas, tais como: tremores, falta de ar, inquietação constante, alteração do sono, medo, dentre outros.
É importante observar os sintomas iniciais, como por exemplo inquietação constante ou o ato de comer indiscriminadamente.
Nesses sintomas iniciais é necessário que a pessoa já procure ajuda profissional, para que isso não evolua e transforme-se em um grau elevado da patologia.

3)    É possível sofrer de ansiedade “ocasionalmente”? Ou uma pessoa ansiosa é ansiosa todos os dias?
Depende. A ansiedade é natural do ser humano, é extremamente necessária para que a gente sobreviva porque ela liga em nosso corpo alguns sinais, como por exemplo o alerta.
Em alguns momentos da vida é necessário que sejamos ansiosos. Do contrário, poderíamos até morrer, literalmente.
A grande questão é o tempo em que ficamos expostos a essa ansiedade. Normalmente, a pessoa que chega a um grau de ansiedade muito elevado fica em um estado de alerta constante, o que afeta inclusive a integridade física (sintomas físicos).

4)    Como ajudar ao parceiro, filho ou amigo que se sente ansioso? Como tentar amenizar?
 Sabemos que a ansiedade está ligada a fatores hereditários e sociais ou contexto em que a pessoa está inserida.
É fundamental que se busque ajuda profissional. Além disso, algumas mudanças de hábito também podem se tornar aliadas importantes e, nesse sentido, toda ajuda é bem-vinda.  Por exemplo, inserir determinados alimentos na dieta tais como: lentilha, arroz integral, abacate, dentre outros. 
Vale ressaltar que por vezes, as pessoas próximas podem observar a prevalência de alguns sintomas e alertar o familiar ou amigo.
Um fator curioso é que percebemos que quando uma pessoa é ansiosa, mais membros da família também podem ser.

5)    Existe como transformar a ansiedade em algo positivo?
A ansiedade positiva é esta que é vital, que nos é essencial em momentos que antecedem uma prova, por exemplo. Ela vai te dar um estado de alerta, vai aumentar a sua atenção e ajuda a aumentar a produtividade.
Quando a ansiedade é patológica, o ideal é que ela seja tratada, não que seja "descontada" em outra coisa, porque aí podemos ter outras situações de risco.

6)    Existe alguma dica para tentar controlar a ansiedade? Principalmente quando ela se manifesta em insônia, medo e batimentos cardíacos acelerados?
Existe uma dica prática, que é a respiração diafragmática, ela leva oxigênio de uma maneira total para o corpo. Normalmente quem é ansioso também tem a respiração ansiosa e é esta falta de oxigenação que acarreta algumas tremuras, espasmos nas pernas e nas pálpebras, dentre outros sintomas.
É relativamente simples e eu oriento que as pessoas façam sempre que sentirem necessidade porque ajuda muito nos sintomas e, principalmente, no controle dos batimentos cardíacos. Antes de dormir ajuda bastante no relaxamento.
Além disso, costumo resgatar o paciente para o momento presente, mostrar que não existe possibilidade de intervir no passado e no futuro. É necessário viver o aqui agora, resolver cada problema de uma vez e não gastar o tempo e preocupação para resolver problemas que ainda não existem.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.