Leia após a publicidade

Após duas quedas mensais consecutivas, a confiança do consumidor brasileiro apresentou uma alta em outubro. Neste mês, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getúlio Vargas aumentou para 86,1 pontos, ante 82,1 pontos em setembro.

Em meio a um cenário de expectativas sobre o resultado das eleições presidenciais e algumas datas importantes para o comércio, como Dia das Crianças e os preparativos para o Natal, a insegurança do consumidor demonstra uma pequena queda.

“A reta final do período eleitoral tem influenciado esse indicador através da redução das incertezas dos agentes econômicos, gerando expectativas de mudanças no rumo da nossa economia com o início de um novo governo”, avaliou o presidente do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES), Ricardo Paixão.

Segundo a FGV, o subíndice que mais contribuiu para o avanço da confiança em outubro foi o de ímpeto de compras. O indicador que mede a intenção de compras de bens duráveis subiu 12 pontos atingindo 90,7 pontos, maior nível desde outubro de 2014 (92,9).

“Esse resultado também foi impactado pelo Dia das Crianças, que tradicionalmente influencia as decisões de consumo das famílias, aumentando os gastos. Outro fator foi a proximidade do 13º salário, trazendo um reforço no orçamento”, pontuou o economista.

Os preparativos para as comemorações de fim de ano também têm contribuído para a melhora do nível de confiança das famílias, conforme analisou o economista Ricardo Paixão. O grupo com menor faixa de renda, com ganhos até R$ 2.100, foi o que teve o maior desempenho desse índice, registrando um aumento de 9,3 pontos, influenciando fortemente a alta da confiança no mês.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.