Leia após a publicidade

O craque português declarou à revista que, aos 33 anos, continua sendo um dos melhores do mundo e que é possível que Lionel Messi fique fora do pódio da premiação neste ano.Foto: Getty
Em busca da sexta Bola de Ouro da carreira, prêmio que será entregue pela revista "France Football" no dia 3 de dezembro, Cristiano Ronaldo disse em entrevista à publicação francesa que merece ser o vencedor e admitiu que trocou o Real Madrid pela Juventus para tentar ser o melhor da história.

Entre os favoritos, segundo o camisa 7 da Juve, estão, nas palavras dele, "os de sempre", e citou o croata Luka Modric, que desbancou Cristiano e venceu o The Best, da Fifa, além do egípcio Mohamed Salah, terceiro colocado na honraria da federação internacional, e os franceses Raphael Varane, Antoine Griezmann e Kylian Mbappé.

"Quantos jogadores são capazes de estar no mais alto nível durante mais de dez anos? Dá para contar nos dedos de uma mão. Bom, digamos que há dois: Messi e eu", gabou-se.

Para manter esse nível de exigência, Cristiano assinou contrato com a Juventus, em vez de aceitar propostas de campeonatos menores, que lhe ofereciam mais dinheiro.

"Na minha idade, nenhum jogador passa de um grande clube para outro grande clube por 100 milhões de euros. Na minha idade, e o digo com respeito por quem faz isso, os jogadores vão para a China, para os Emirados Árabes, para a Índia e terminam suas carreiras nesses lugares, sem precisar manter o nível", enalteceu.

"Fico orgulhoso de não pensar assim", de ser um animal diferente, um atleta diferente, uma pessoa diferente, com um cérebro diferente. Não digo que seja melhor, digo que sou diferente. E talvez seja por isso que estou no topo da montanha há 12 anos", completou.

O vencedor da Bola de Ouro em cinco ocasiões acredita que algumas pessoas não gostam de vê-lo por cima. A elas, mandou um recado: "Estou e continuarei estando aqui. E mereço. Meus resultados falam por mim, não me deixaram fora do jogo", disse.

"A idade está na cabeça, e isso me permite continuar no topo, sentir o mesmo prazer pelo que faço em campo, ser feliz. Sei que algum dia isso terminará. Em quatro, cinco, seis anos você vai saber", completou.

Cristiano ainda se defendeu da acusação de estupro feita pela modelo americana Kathryn Mayorga e afirmou que o caso vem afetando sua família.

"Conversei com minha mulher. Meu filho, Cristiano Jr., é pequeno demais para entender. As que se afetam mais são minha mãe e minhas irmãs. Estão tristes e, ao mesmo tempo, muito irritadas. É a primeira vez que as vejo assim. Sou eu quem devo acalmá-las quando deveria ser o contrário", relatou.

"Minha mãe está inconsolável. Conversei muito com ela. Por ela, me sinto pior. A opinião pública é diferente, há tanta gente que gosta mim e muitos que me detestam. Para mim, é indiferente, mas quero ver o que vão dizer quando tudo isso acabar", avisou o craque, que negou ter saudade do anonimato. "Estou orgulhoso da minha vida, do que sou, do que alcancei", finalizou.

Por AGÊNCIA EFE.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.