Leia após a publicidade

Veja algumas dicas para não cair na fraude do boleto bancário

O golpe do boleto bancário falso surgiu por volta de 2013 e é comum até hoje, causando prejuízos a quem é enganado por ele. Trata-se de um tipo de fraude em que criminosos brasileiros alteram a linha digitada de boletos para desviar os valores pagos para contas fraudulentas. Para não cair no golpe, alguns cuidados precisam ser tomados na hora de pagar as contas, que podem ajudar a identificar o boleto falso.

O coordenador de atendimento ao cliente da Benevix, Vinícius Quiquita, explica que é importante os clientes estarem informados para não serem enganados. “As empresas que trabalham com boletos precisam alertar seus clientes sobre os riscos e como reconhecer um boleto falso. Quando o cliente é enganado por criminosos, o pagamento é desviado e não chega até a empresa”, destaca.

O golpe é aplicado por meio da alteração do código de barras do boleto, que geralmente ocorre de forma eletrônica no momento da impressão da segunda via, alterando apenas a linha digitável. Esse tipo de fraude utiliza-se de um “programa malicioso”, que pode entrar no computador da vítima disfarçado como um programa comum e legítimo, por meio de anexos de e-mails, imagens fotos, pen-drives infectados, acesso a páginas maliciosas, entre outras maneiras. Os softwares não são instalados nos sites dos bancos, que são protegidos, mas sim na máquina do usuário.

Outra forma de aplicar o golpe bastante comum é receber um e-mail informando sobre a necessidade de algum boleto de cobrança, inclusive os que são autorizados o débito direto autorizado (DDA). Neste caso, entre em contato com a empresa que realiza a cobrança para confirmar a informação. As formas de aplicação do golpe são diversas, mas alguns cuidados podem ajudar a não cair em nenhuma delas. O mais importante deles é saber como diferenciar um boleto falso de um verdadeiro. Veja as dicas a seguir:

  1. Manter o Windows, navegador e plug-ins atualizados; manter o antivírus atualizado e exercer cuidado no acesso a links em e-mails para evitar a entrada de softwares maliciosos no computadorSe você tiver dúvida ao abrir um e-mail, não acesse o link;
  2. Confira nos boletos se o nome e a logomarca do banco emissor são os mesmos;
  3. O número do banco deve corresponder ao banco contido na logomarca e no campo nome do banco. Em caso de dúvida acessehttp://www.buscabanco.org.br
  4. Os três primeiros caracteres da linha digitável devem ser iguais ao número do banco e correspondente ao nome do banco e sua logomarca.
  5. Os números contidos nos campos: Agência, Código cedente e Nosso número devem de alguma forma estar contidos na linha digitável, independente do banco emitente do boleto e da localização destas informações na linha digitável. Elas devem estar em algum lugar do campo livre da linha digitável, sendo os dados de um campo por inteiro e não partes, lembrando de excluir os DV (dígitos verificadores) no momento da conferência.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.