Leia após a publicidade

Luiza Carvalho é diretora regional da ONU Mulheres para Américas e Caribe.
Foto: ONU Mulheres
A diretora regional da ONU Mulheres para as Américas e o Caribe, a brasileira Luiza Carvalho, disse nesta segunda-feira à Agência Efe que a organização está tentando "compreender melhor" como será a cooperação com o Brasil a partir de janeiro, quando o presidente eleito Jair Bolsonaro assume o cargo.

"Estamos tentando compreender melhor como será nossa cooperação com o governo de Bolsonaro. Como poderíamos apoiar o governo, e também as organizações da sociedade civil e os governos locais para que possamos seguir avançando", disse a brasileira durante a apresentação de um estudo no Uruguai.

Em um vídeo que foi usado pela campanha de Geraldo Alckmin (PSDB), Bolsonaro aparece insultando mulheres, entre elas uma jornalista, chamada por ele de "idiota". Outra gravação exibida é a discussão do capitão da reserva com a deputada Maria do Rosário, chama pelo agora presidente eleito de "vagabunda".

Bolsonaro afirma que Maria do Rosário não "merecia ser estuprada" por ser "muito feia". O caso foi levado à Justiça e está no Supremo Tribunal Federal (STF). O presidente eleito já é réu no processo, no qual é acusado de apologia ao crime de estupro e injúria.

As declarações machistas do então candidato do PSL à presidência geraram o movimento "Ele Não", liderado por mulheres que saíram às ruas para protestar contra Bolsonaro.

Apesar das polêmicas, Luiza afirmou que a ONU Mulheres espera que Bolsonaro "tenha todas as oportunidades de provar o contrário que já disse".


Com informações de AGÊNCIA EFE.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.