Médicas oncologista e dermatologista esclarecerão dúvidas da população sobre os principais sinais e sintomas da doença, nos próximos dias 1, 3, 8 e 10 de fevereiro na Curva da Jurema e em Itaparica
Ação também irá acontecer em Itaparica.
Os dias longos e ensolarados do verão são um convite para aproveitar o tempo livre para curtir uma praia, piscina ou praticar esportes ao ar livre. Nesta época do ano, os cuidados com a pele devem ser redobrados para evitar os efeitos nocivos dos raios solares, fator tido como uma das principais causas do aumento nos índices de tumores de pele entre a população brasileira. Para alertar a população sobre os sinais e sintomas desta doença, o Centro Capixaba de Oncologia (Cecon), unidade capixaba do grupo Oncoclínicas, promove a campanha #Questaodepele nesta sexta (1) e domingo (3) e nos próximos dias 8 e 10 de fevereiro em praias capixabas.

Uma tenda será montada nas praias Curva da Jurema, em Vitória, e Itaparica, em Vila Velha, onde a oncologista Juliana Alvarenga e a dermatologista Juliana Lacerda dos Santos Reis prestarão orientação e esclarecerão dúvidas da população sobre os sinais e sintomas da doença. No local, serão distribuídos flyerscom dicas de prevenção à doença, água mineral e brindes.

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), cerca de 180 mil novos casos de câncer de pele são estimados no Brasil no biênio 2018-2019 – número que corresponde a 33% de todos os casos de tumores malignos no país. Dentre esses casos, 95% são classificados como não-melanoma, índice que está diretamente relacionado à constante exposição à radiação ultravioleta (UV) do sol.

Segundo a oncologista clínica do Cecon, Juliana Alvarenga, os principais sinais e sintomas de câncer não-melanoma são a presença de manchas com crescimento rápido, que não cicatrizam, coçam, ardem, descamam ou sangram. Elas geralmente surgem em áreas muito expostas ao sol como rosto, pescoço, orelhas e braços.

“Quando identificadas precocemente, essas lesões são facilmente retiradas mas, quando negligenciadas, elas podem crescer e precisam ser retiradas em cirurgias algumas vezes mutiladoras”, explica Juliana. Ela alerta que é preciso ficar atento aos sinais e sintomas e, ao se expor ao sol, reforçar o uso do protetor solar diariamente, principalmente no rosto, além de utilizar outras formas de prevenção como chapéus, óculos escuros com proteção UV e evitar horários em que a incidência solar esteja mais forte, ou seja, entre 10 e 16 horas.


Serviço

#Questaodepele

Sexta (1/02) - Das 8 às 12h, na Curva da Jurema (próximo à Praça da Ciência)

Domingo (3/02) - Das 8 às 12h, na Praia de Itaparica

Sexta (8/02) - Das 8 às 12h, na Praia de Itaparica

Domingo (10/02) - Das 8 às 12h, na Curva da Jurema (próximo à Praça da Ciência)

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.