O problema acontece porque as pessoas transpiram mais e não ingerem líquido o suficiente. Além disso, os cuidados com a alimentação nas férias costumam ser deixados de lado.
Com as altas temperaturas do verão, a incidência de algumas doenças é maior. A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) alerta que nesses meses de calor os casos de pedras nos rins crescem 30%, em média. Para evitá-las, a ingestão de bastante líquido é fundamental.
“Como a desidratação é frequente, já que no calor transpira-se mais, a urina tende a ficar mais concentrada. Esse fator associado a baixa ingestão hídrica aumenta as chances de cálculo renal”, afirma o urologista Gabriel Moulin.
Pessoas que tomam bastante água tem incidência menor de pedra nos rins, pois evita-se a precipitação de cristais de oxalato de cálcio, ácido úrico e fosfato de cálcio.
O urologista dá a dica: “Um parâmetro bom para se verificar sua hidratação é a cor da urina. Ela deve estar sempre clara, exceto pela primeira urina da manhã. Se no decorrer do dia a diurese estiver mais concentrada, significa que você está pouco hidratado e seu corpo necessita de maior ingestão hídrica”.
Além disso, os cuidados com a alimentação nas férias costumam ser deixados de lado: as pessoas aumentam a ingestão de alimentos industrializados e ricos em sódio, facilitando ainda mais o aparecimento de cálculo renal, principalmente por indivíduos propensos à doença, que atinge três vezes mais os homens do que mulheres.

Nenhum comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Tecnologia do Blogger.